O que precisamos saber sobre os Jogos Paraolímpicos

6 de setembro de 2019
Os Jogos Paraolímpicos têm cada vez mais adeptos. Eles foram criados para que as pessoas com deficiência motora ou intelectual tivessem um lugar no maior evento do esporte mundial.

Mais modernos e menos populares do que os Jogos Olímpicos, os Jogos Paraolímpicos têm a participação de atletas com diferentes deficiências físicas, sensoriais e mentais. Descubra tudo o que você precisa saber sobre esse evento no artigo a seguir.

Revisando a sua história

Assim como devemos agradecer a Pierre de Coubertin por organizar os Jogos Olímpicos modernos, é necessário homenagear um médico alemão chamado Ludwig Guttman pela existência dos Jogos Paraolímpicos.

Esse neurologista tinha o objetivo de fazer com que as pessoas com paralisia cerebral, deficiências intelectuais, amputações, cegueira ou paraplegia não só pudessem praticar esportes, mas também pudessem participar de uma competição internacional.

Como precursores do torneio, podemos citar os encontros entre os veteranos da Segunda Guerra Mundial em 1948, todos eles com lesão medular.

Naquele mesmo ano houve os jogos internacionais em cadeiras de rodas na Inglaterra – os famosos Jogos de Stoke Mandeville – e, pouco a pouco, as pessoas com deficiência passaram a ser levadas em consideração, embora o caminho a ser percorrido ainda fosse longo.

Antes dos Jogos Paraolímpicos

Antes do desenvolvimento oficial desses Jogos, atletas com diferentes deficiências competiram nas Olimpíadas nas primeiras edições modernas. No entanto, como competição, o evento teve a sua data de fundação em 1960, em Roma, com 400 competidores de 23 países, todos eles atletas em cadeiras de rodas.

Os esportes disputados naquela ocasião foram atletismo, dardos, basquete, esgrima, sinuca, natação, tênis de mesa e tiro com arco. A Itália foi a grande vencedora, com 80 medalhas.

Desde então, os Jogos Paraolímpicos passaram a acontecer no mesmo ano das Olimpíadas – embora nem sempre na mesma sede – e, desde Montreal 1976, foram incluídos atletas com diferentes deficiências, não apenas em cadeiras de rodas.

A partir da edição de 1988, em Seul, os Jogos Paraolímpicos passaram a ser realizados imediatamente após o término das Olimpíadas, usando as mesmas instalações – com algumas mudanças e adaptações. Enquanto isso, em 2001, foi oficializado o lema ‘única candidatura, única cidade’ para ambas as competições.

Esportes exclusivos

Além disso, vale a pena destacar que há Jogos Paraolímpicos de Verão e Jogos Paraolímpicos de Inverno – esses últimos desde 1976. Ambos têm como base as regras do Comitê Paraolímpico Internacional – CPI. Quanto aos símbolos dos Jogos Paraolímpicos, a bandeira tem três ‘gotas’ nas cores vermelho, verde e azul.

Quais esportes são disputados nos Jogos Paraolímpicos?

De acordo com o CPI, existem 10 categorias de deficiência e os atletas com pelo menos uma delas podem participar dos Jogos Paraolímpicos. Devido à variedade de deficiências existentes, os Jogos têm muitas categorias diferentes de competição.

Dentre as deficiências de ordem física estão as de potência muscular, de amplitude de movimento passivo, de perda ou deficiência de um membro, de baixa estatura, de hipertonia, de ataxia, de atetose e de deficiência visual. Outro tipo de deficiência é a intelectual ou cognitiva.

Há 22 esportes paraolímpicos de verão. Muitos deles são adaptações das modalidades disputadas nos Jogos Olímpicos, como atletismo, badminton, basquete em cadeira de rodas, ciclismo, esgrima em cadeira de rodas, futebol, levantamento de peso, hipismo, judô, natação, canoagem, remo…

Há ainda rugby em cadeira de rodas – o rugby não é um esporte olímpico – taekwondo, tênis de mesa, tênis em cadeira de rodas, tiro com arco, tiro olímpico, triatlo e vôlei sentado.

Esportes exclusivos

Há também dois esportes que são exclusivos dos Jogos Paraolímpicos de verão e que geralmente não são tão conhecidos: o goalball e a bocha. De fato, o primeiro é praticado por atletas cegos ou com deficiência visual, já que é utilizada uma bola com sons.

No goalball, duas equipes de três jogadores cada se enfrentam em uma quadra com dois gols. O objetivo é marcar gols depois de rolar a bola. Os espectadores devem permanecer em silêncio durante o jogo inteiro, exceto quando um gol é marcado.

Com relação à bocha, ela pode ser jogada como esporte individual, em duplas ou por equipes e consiste em lançar bolas e aproximá-las o máximo possível da bola branca, que marca a distância máxima. É praticada por pessoas em cadeiras de rodas com paralisia cerebral, lesões cerebrais ou deficiências físicas graves.

O que precisamos saber sobre os Jogos Paraolímpicos

Quanto aos Jogos Paraolímpicos de Inverno, há seis esportes praticados: biatlo, curling em cadeira de rodas, esqui alpino, esqui nórdico, hóquei no gelo e snowboard.

Embora possa parecer que a palavra Paraolímpico derive das palavras ‘paralisia’ ou ‘paraplegia’, na verdade, esse prefixo grego é usado para dizer ‘próximo’ ou ‘similar’. Portanto, a tradução seria Jogos similares aos Olímpicos.

Finalmente, vale a pena destacar que o Comitê Olímpico Internacional reconhece dois outros eventos para pessoas com deficiência. São as Olimpíadas Especiais e as Surdolimpíadas, que são realizadas para atletas com deficiência auditiva.

  • Gold, J. R., & Gold, M. M. (2007). Access for all: The rise of the Paralympic Games. Journal of The Royal Society for the Promotion of Health. https://doi.org/10.1177/1466424007077348