Dicas para uma cesta de três pontos perfeita

9 de agosto de 2019
Pau Gasol, considerado um dos melhores jogadores de basquete da história da Espanha, conseguiu fazer uma cesta de três pontos perfeita. Será que ele estudou para isso?

Fazer uma cesta de três pontos perfeita é algo que poucos atletas conseguiram e, por isso, vale a pena estudá-las tanto dentro quanto fora da quadra. É um assunto que não é interessante apenas para os jogadores, mas também para os professores de física.

Embora possamos pensar o contrário, na verdade, quem faz um arremesso de três pontos aplica a física ao fazer um arremesso para além do arco, mesmo que de forma inconsciente.

As melhores cestas de três pontos parecem encontrar o ângulo, a velocidade e a curva perfeitas para entrar na cesta. Essas condições que aumentam significativamente as chances de obter os pontos.

Física pura

Gintaras Duda, que é professor de física na Universidade de Creighton, EUA, chegou a essas mesmas conclusões através de seus estudos. Para encontrar as medidas perfeitas, devemos nos posicionar a 6,37 metros do aro, desenhar uma parábola de 45 graus com a bola e jogá-la a 32 km/h.

Física pura da cesta de três pontos perfeita

A melhora nos percentuais de cestas de três pontos em jogadores como Pau Gasol, que quebrou o recorde da NBA com 53,8% de acerto ao final de sua 16ª temporada, até nos leva a pensar que ele pode ter lido alguns desses estudos.

Esse percentual obtido pelo número 16 do San Antonio é o mais alto da história e, sem dúvida, o ajudou a ganhar o apelido de “o triplo mais letal” na imprensa internacional.

Se quisermos marcar uma cesta de três pontos, o segundo aspecto que devemos levar em conta são os chamados “efeitos Magnus“, em homenagem ao físico que os descreveu pela primeira vez em 1853.

Através desse princípio, afirma-se que a rotação de um objeto afeta a sua trajetória inquestionavelmente enquanto ele viaja através de um fluido – o ar, no caso.

Isso demonstra a importância de dar efeito à bola. Ou seja, de fazer um movimento de flexão do punho instantes antes da bola saia da nossa mão, fazendo assim com que a bola gire na direção oposta.

Ao girar a bola na direção oposta à típica do basquete, ocorrem diferenças na pressão gerada em torno da bola, o que fará com que exista uma trajetória mais impulsionada e, portanto, um ângulo maior, o que aumenta a probabilidade de entrada na cesta.

Como vantagem adicional, esse princípio produz um movimento mais lento da bola que, caso bata no aro, causará um rebote menos violento. Esse é um detalhe muito importante se você quiser aumentar a probabilidade de obter uma cesta de três pontos perfeita.

Objetivo: melhorar

Quando se trata de melhorar o nosso arremesso de três pontos, é muito importante levar em conta o chamado “aprendizado observacional”. Estamos falando da análise feita pelos nossos neurônios do córtex cingulado anterior sobre os acertos e erros cometidos pelos outros.

O que isso significa? Que, para melhorar em algo – no nosso caso, no arremesso de três pontos – não basta treinar até que as solas dos sapatos fiquem gastas.

Objetivo: melhorar

Foto cortesia de: RTVE.

De acordo com vários estudos, é igualmente importante se sentar e assistir vídeos de como os outros jogam para aperfeiçoar a nossa técnica – algo semelhante ao scouting. Isso ocorre porque a capacidade de fazer uma atividade melhora muito mais rapidamente se adicionarmos a observação ao treino diário.

Levando em conta tudo o que dissemos até agora, pareceria arriscado fazer um arremesso dos quase sete metros que separam a linha de três pontos e a cesta. Ainda mais quando se trata de um movimento espetacular e arriscado que só está ao alcance dos melhores jogadores.

Apesar disso, treinadores de alto nível, como Luis Casimiro, por exemplo, concordam que existem muitas razões para arriscar o arremesso da cesta de três pontos perfeita:

O arremesso de três pontos permite que você dispare no placar rapidamente e, se o placar estiver desfavorável, ajuda a reduzir a vantagem do oponente em pouco tempo. Certamente é necessário ter uma técnica individual muito boa, mas a persistência também é muito importante. Não conheço nenhum arremessador que se canse de praticar os arremessos de três pontos antes, durante e depois dos treinos.

Casos práticos

Equipes como o Herbalife Gran Canaria já fizeram tutoriais em vídeo dedicados ao arremesso de três pontos.

No caso da equipe das Canárias, é Kyle Kuric – maior pontuador de três pontos do Herbalife Gran Canaria – que explica as dez regras de ouro que devemos seguir para fazer uma cesta de três pontos perfeita:

  1. Estar posicionado atrás da linha de três pontos (isso parece bastante importante).
  2. Os pés devem estar bem separados, paralelos e na mesma distância dos ombros, para proporcionar uma boa base e evitar qualquer tipo de desequilíbrio.
  3. Estar prevenido: aprender a ler o jogo dos seus companheiros de equipe e rivais para detectar possíveis oportunidades de arremesso.
  4. Estar com o corpo reto e voltado para a tabela.
  5. Flexionar os joelhos até formar um ângulo de 45 graus.
  6. A mão que não estiver executando o arremesso deve ser colocada ao lado da bola e guiar o seu percurso.
  7. Saltar ligeiramente respeitando a posição dos pés.
  8. Estender o braço para lançar a bola, deixando que o dedo médio seja o último a tocá-la e mantendo o pulso flexionado após o arremesso.
  9. A bola deve girar sobre si mesma de forma perpendicular enquanto viaja em direção à cesta.
  10. Praticar, praticar e praticar, repetindo o lançamento várias vezes.
É necessário aprender a ler o jogo dos seus companheiros de equipe e rivais

Foto cortesia de: El País.

Fazer uma cesta de três pontos perfeita é uma questão de prática

Depois de tudo o que dissemos, podemos concluir que um jogador de basquete não se torna um arremessador de três pontos por acaso, já que são necessárias longas horas de treinamento para obter a cesta de três pontos perfeita.

De agora em diante, é possível que você tenha começado a apreciar os jogos de basquete como algo além de somente colocar a bola na cesta.