Má circulação nas pernas: prevenção e tratamento

28 de janeiro de 2020
A má circulação nas pernas pode ser um sintoma de uma doença como a insuficiência venosa. Neste artigo, mostramos como prevenir a má circulação e como tratá-la se já sofremos dela.

Um dos principais sintomas do sedentarismo, mas também da idade, é a má circulação nas pernas. Esse sintoma pode ocorrer em pessoas com certa predisposição genética ou ser uma manifestação de uma doença circulatória.

Neste artigo, veremos em detalhes o que causa a má circulação nas pernas e em que ela consiste. Também vamos mostrar diretrizes para preveni-la e tratá-la na medida do possível.

Má circulação nas pernas: causas e fisiologia

Existem muitas causas que podem retardar a circulação sanguínea no nosso corpo, mas elas se manifestam mais nas pernas devido à força da gravidade. Geralmente, quando falamos de má circulação sanguínea, estamos nos referindo ao sangue venoso, que vem desde os tecidos até o coração para ser oxigenado novamente.  

A circulação arterial ocorre sob grande pressão, mas a circulação venosa geralmente é muito mais lenta. Para compensar, geralmente há algumas válvulas que impedem o refluxo sanguíneo.

As razões para a má circulação sanguínea são numerosas, mas quase sempre há uma alteração morfológica em comum que é a ineficiência do sistema venoso para transportar o sangue com eficiência de volta ao coração. Em um grande número de casos, essa alteração morfológica está relacionada à aterosclerose.

Aterosclerose

A aterosclerose é uma doença crônica que ocorre com o envelhecimento. Consiste na formação de placas de ateroma, compostas de colesterol, na parede das artérias.  

Geralmente acontece em artérias de calibre médio. Em resposta ao endurecimento das artérias, as veias diminuem de calibre. Essa variação pode causar uma desestruturação das válvulas venosas.

Má circulação nas pernas: prevenção e tratamento

Além disso, a placa de ateroma pode se romper e formar pequenos coágulos, que podem viajar para o sistema venoso, aderir à parede venosa e formar trombos. Esta é a origem de doenças como a tromboflebite.

Embora essa doença ocorra em todas as pessoas em maior ou menor grau com a idade, um dos principais agentes que irritam o endotélio das artérias e as predispõe à formação de placas ateromatosas é o tabaco.  

Um fumante de cinquenta anos de idade pode ter artérias como as de uma pessoa saudável de 70 anos. Portanto, para reduzir a ocorrência de sintomas indesejáveis, é essencial parar de fumar.

Diabetes

Outra doença associada à má circulação é o diabetes. O diabetes em estágios avançados, especialmente quando ele não está bem controlado, acaba provocando problemas na microcirculação devido à toxicidade do excesso de glicose sobre os capilares.

Os sintomas dessa má circulação são a insuficiência venosa, a retinopatia ou o pé diabético.

Varizes

As varizes são a principal manifestação de insuficiência venosa e, portanto, de má circulação nas pernas. Elas geralmente aparecem mesmo em pessoas jovens que sejam predispostas a sofrer da condição. Nesse caso, elas têm menor importância.

No entanto, em pessoas mais velhas e com alguma doença de origem cardiovascular, isso pode ser um sintoma de alarme e é interessante tratar as doenças de base.

Essa insuficiência venosa também pode se manifestar como inchaço nas pernas. As pernas inchadas podem ter muitas causas, e uma das mais importantes é a insuficiência venosa.

Prevenção e tratamento

Nesta seção, daremos algumas orientações e dicas para prevenir ou tratar os sintomas de má circulação nas pernas, tais como varizes, vasinhos ou formigamento.

Em muitos casos elas coincidem, uma vez que estas diretrizes têm como objetivo melhorar a circulação, e isso pode ser usado tanto para prevenir o aparecimento dos sintomas quanto para tratá-los.  

  • Fazer exercício físico. O esporte aumenta a frequência cardíaca e aumenta a velocidade na qual o sangue se move através dos vasos sanguíneos.
  • Seguir uma dieta saudável e equilibrada. É especialmente importante consumir alimentos saudáveis ​​para o coração, tais como as gorduras ômega 3 presentes em peixes ou oleaginosas. Além disso, também é aconselhável reduzir a ingestão de sal.
  • Beber bastante água. Isso estimulará a filtração de nossos rins e nos impedirá de reter líquidos.
Má circulação nas pernas: prevenção e tratamento

Aliviar os sintomas da má circulação

Se já percebemos sintomas como a presença de vasinhos, varizes, formigamento ou retenção de líquidos, podemos tomar medidas para reduzir esses sintomas.

No entanto, devemos ter em mente que o tratamento definitivo é aquele que trata a doença subjacente. Assim, se não tratarmos a doença, os sintomas aparecerão novamente.

  • Usar meias de compressão impedirá a formação de coágulos, que podem ser perigosos caso venham a atingir a circulação pulmonar. Além disso, assim também podemos reduzir a retenção de líquidos.
  • As massagens são uma ótima ferramenta para melhorar a circulação venosa superficial. Com a massagem, ajudaremos o sangue a se mover.
  • Colocar as pernas para cima também pode ser útil para melhorar o retorno venoso.

Em certos casos, tratamentos cirúrgicos ou medicamentosos podem ser necessários. Existem cirurgias pouco invasivas que podem remover as varizes. Quanto ao tratamento medicamentoso, este consistirá em um anticoagulante para evitar a formação de trombos.

  1. Aronow W. Peripheral arterial disease in the elderly. Clin Interv Aging [Internet]. 2008 Jan [cited 2019 Nov 14];Volume 2:645–54. Available from: https://www.dovepress.com/peripheral-arterial-disease-in-the-elderly-peer-reviewed-article-CIA
  2. Olive JL, DeVan AE, McCully KK. The effects of aging and activity on muscle blood flow. Dyn Med. 2002 Dec 19;1:1–7.
  3. Deitrick G, Charalel J, Bauman W, Tuckman J. Reduced arterial circulation to the legs in spinal cord injury as a cause of skin breakdown lesions. Angiology. 2007 Apr;58(2):175–84.