Treinamento de eletroestimulação: o que é?

13 de fevereiro de 2020
Durante muito tempo, o chamado treinamento de eletroestimulação esteve reservado aos atletas de elite. No entanto, o uso de impulsos elétricos para melhorar a forma física está sendo cada vez mais difundido. Você quer saber do que se trata?

O treinamento de eletroestimulação é uma técnica esportiva que, durante muito tempo, esteve reservada aos grandes atletas de elite. Atualmente, no entanto, ele é oferecido para qualquer atleta que assim desejar, desde que ele atenda a determinadas condições físicas.

Com esse método, busca-se causar contrações musculares através da aplicação de impulsos elétricos. Dessa forma, é possível entrar em forma em pouco tempo, pois é possível fazer uma grande atividade física com um pequeno esforço.

É um tipo de ‘exercício simulado’ com intervalos de alta intensidade e efeitos muito semelhantes aos treinos de HIIT. Permite fortalecer o tônus ​​muscular e evitar a flacidez. Da mesma forma, promove um aumento nos parâmetros de volume, tônus, força e resistência.

Décadas de experiência

Embora o treinamento de eletroestimulação esteja há aproximadamente trinta anos no âmbito esportivo, ele foi mais utilizado em terapias de reabilitação e recuperação do que para o mundo fitness.

A chave do sucesso está em combinar essa técnica com um treino de exercícios ativos. Não se trata de mágica, nem de uma técnica milagrosa. Deitar-se em um sofá para assistir à TV, com a ideia de que apenas os impulsos eletromagnéticos farão todo o trabalho, não terá nenhum resultado positivo. 

Além de manter uma dieta equilibrada, também é importante cuidar da hidrataçãoDa mesma forma que nos métodos tradicionais de condicionamento físico, o corpo também pode entrar em situação de emergência devido à falta de água.

Treinamento de eletroestimulação

O que é o treinamento de eletroestimulação?

Este treinamento consiste em aplicar, por meio de um aparelho chamado ‘eletroestimulador’, uma corrente elétrica em áreas específicas do corpo. Essa energia causa uma série de contrações nos músculos, semelhantes aos impulsos enviados pelo sistema nervoso central.

Em uma única sessão de 20 minutos, é possível queimar até 1.200 calorias. Ao mesmo tempo, o corpo é forçado a trabalhar em sua capacidade máxima. Inclusive, ele permanece ativo por mais de 72 horas após o término do treino.

Para aplicar a eletroestimulação, é necessário ter uma condição física mínima para evitar problemas de saúde ou riscos de lesões.

Embora possa não parecer, o corpo é submetido a um treinamento de alta intensidadePor esse mesmo motivo, recomenda-se limitar essas ‘sessões de trabalho’ a duas vezes por semana em dias não consecutivos.

Vantagens

Juntamente com um treino com exercícios ‘tradicionais’, o treinamento de eletroestimulação traz muitos benefícios para o corpo. Primeiramente, ajuda a prevenir a atrofia muscular, sendo amplamente utilizado na reabilitação para tratar patologias musculares. Além disso, também melhora e evita contraturas nos tecidos. 

Por outro lado, a eletroestimulação promove uma maior ativação muscular e uma melhor contração das fibras. Isso ocorre principalmente porque são atingidos tecidos que não necessariamente são ativados por meio da contração voluntária.

No campo exclusivamente esportivo, o principal benefício da técnica é que ela permite que você exercite os músculos de maneira mais profunda, mas sem causar nenhum tipo de fadiga para o sistema nervoso. Em outras palavras, envolve trabalho físico sem fadiga.  

Desvantagens

Uma das razões pelas quais não podemos tentar manter um bom condicionamento físico exclusivamente com a eletroestimulação é porque não há como trabalhar a coordenação motora ou o controle muscular.

Ambos são fatores necessários para o pleno desenvolvimento do corpo como uma unidade com força e movimento.   

Treinamento de eletroestimulação

Imagem: Gremyo.com

Além disso, seu uso excessivo traz mais problemas do que benefícios. Embora os tecidos musculares sejam fortalecidos, tendões e ligamentos podem se tornar flácidos. Portanto, os riscos de lesões nas articulações aumentam consideravelmente, mesmo apenas caminhando.

Contraindicações para o treinamento de eletroestimulação

Conforme mencionamos, esse tipo de treinamento não é adequado para todas as pessoas, independentemente de ter uma boa condição física ou de ser combinado com outros métodos de trabalho esportivo. Tampouco se for aplicado apenas como parte de procedimentos regenerativos ou para superar lesões.

Não é recomendado para quem sofre de epilepsia, possui implantes ativos, como um marca-passo por exemplo, ou apresenta feridas superficiais sem cicatrização, tampouco para aqueles que sofreram tumores ou tenham varizes pronunciadas.

Por fim, é importante saber que ele deve ser imediatamente suspenso em caso de febre e sangramento. O mesmo se aplica se forem observadas inflamações ou tendinites.

Recomenda-se interromper a prática em caso de gravidez e é necessário evitar usá-la na área abdominal. Finalmente, o treinamento nunca deve ser aplicado no trajeto da artéria carótida.

  • Bases para el entrenamiento con electroestimulación. Extraído de: http://paidotribo.com.mx/pdfs/755/755.0.pdf
  • Dufary Alegría Rivera. 2011. La electroestimulación neuromuscular y su aplicación en el desarrollo de la fuerza en el deporte. Extraído de: http://bibliotecadigital.univalle.edu.co/bitstream/10893/3874/4/0450258.pdf