Os acidentes mais trágicos da Fórmula 1

27 de junho de 2019
Se você é um fã da Fórmula 1, certamente se lembrará destes e de outros acidentes que marcaram a evolução desta categoria. Atualmente, o número de vítimas foi reduzido consideravelmente.

Uma das características mais impressionantes da Fórmula 1 é a velocidade que os carros alcançam. No entanto, esta também é uma das razões da morte de vários dos protagonistas desta categoria, principalmente no passado. Vamos falar sobre os acidentes mais terríveis da Fórmula 1.

Todos os amantes do automobilismo gostam das corridas de Fórmula 1, com os carros rodando em velocidades incríveis e os melhores pilotos do mundo manobrando na pista. No entanto, quando algo sai do controle, todos os corações ficam paralisados.

Essa categoria registrou, ao longo de sua vasta história, acidentes impressionantes e fatais, que até hoje ainda são lamentados. A seguir, vamos listar alguns dos mais lembrados e também ver o que mudou para evitar esses desastres.

Os acidentes mais trágicos da Fórmula 1

Tom Pryce na África do Sul em 1977

Este acidente é um dos mais trágicos da história desta categoria, já que não só levou a vida do piloto, mas também a do comissário de pista Jansen Vuuren. Além disso, tudo aconteceu a poucos metros dos espectadores e com as câmeras retratando o desfecho fatal.

Tudo começou quando Vuuren e outro comissário cruzaram a pista para ajudar o piloto italiano Renzo Zorzi, cujo veículo estava em chamas na beira da pista, atrás de uma colina que impedia as pessoas de verem o que estava acontecendo.

Os acidentes mais trágicos

Imagem: redbull.com

Naquele momento, o carro de Tom Pryce atropelou Vuuren e causou o resultado menos desejado. O que torna o fato ainda mais sério é que Pryce também morreu devido ao impacto do extintor que o comissário estava carregando na sua cabeça. Sem dúvida, um dos dias mais sombrios da F1.

Ayrton Senna em San Marino em 1994, o acidente mais lembrado da Fórmula 1

Provavelmente este foi o acidente mais icônico da Fórmula 1. O então tricampeão mundial Ayrton Senna perdeu a vida na famosa curva Tamburello, ao se chocar de frente contra o muro de contenção.

Este trágico evento transformou Senna em um herói do automobilismo; milhões de fãs do mundo inteiro o têm como um ídolo máximo por causa do seu estilo de condução audacioso e valente. A morte deste brasileiro foi um marco distintivo na segurança da categoria.

Niki Lauda na Alemanha em 1976

Este acidente quase custou a vida de um dos melhores pilotos de todos os tempos. Niki Lauda perdeu o controle de seu carro e colidiu com um guard rail do circuito de Nurburgring, o que fez com que o carro, com o piloto ainda no cockpit, ficasse em chamas instantaneamente.

O austríaco, campeão mundial por três vezes (duas delas depois desse episódio), sofreu queimaduras de primeiro e terceiro graus no rosto e nos braços, além de danos nos pulmões causados pela inalação dos gases do incêndio.

Depois de lutar pela sua vida durante alguns dias, Lauda seguiu em frente e voltou a dirigir a sua Ferrari 40 dias após o acidente!

Fernando Alonso no Brasil em 2003

Certamente todos os espanhóis se lembram deste acidente do asturiano, que poderia ter sido muito mais sério do que foi.

O Jaguar de Mark Weber havia perdido muitas peças na pista após um acidente e, embora o carro de segurança tivesse entrado na pista, Alonso não foi capaz de desviar dos detritos. Ele sofreu um impacto muito forte e estava ferido quando saiu do carro, mas não aconteceu nada mais grave.

Jules Bianchi no Japão em 2014

Este jovem piloto francês perdeu o controle de seu veículo por causa da água acumulada na curva 7 do circuito japonês. Infelizmente, ele não colidiu contra a parede, mas sim contra um guindaste que estava removendo os restos de outro carro.

Nove meses depois, em 17 de julho de 2015, Bianchi perdeu a vida em Nice, sua cidade natal. Já havia passado mais de vinte anos desde a última morte causada por um acidente na Fórmula 1; a última havia sido a de Ayrton Senna.

Jules Bianchi no Japão

Imagem: expansion.mx

A segurança atual para evitar acidentes na Fórmula 1 

Nas últimas duas décadas, especialistas em segurança da categoria trabalharam duro para evitar resultados fatais devido a acidentes na Fórmula 1. Para isso, medidas importantes foram tomadas para proteger o bem-estar dos pilotos.

Além dos notáveis avanços tecnológicos que ocorreram recentemente, permitindo um melhor controle dos carros e reduzindo o risco de acidentes graves, o halo também foi incorporado a partir de 2018.

Além disso, a FIA também avalia regular o uso de um escudo que seria colocado em frente ao carro para proteger os pilotos de objetos que possivelmente colidiram diretamente contra eles. No entanto, participantes como o campeão Sebastian Vettel se manifestaram contra isso.

Em suma, os acidentes na Fórmula 1 foram reduzidos em grande número, embora nunca se possa dizer que absolutamente todos serão evitados. No momento, pelo menos, a segurança dos pilotos é a prioridade e ações estão sendo tomadas.

  • Roberto Berasategui. La Fórmula 1 llega a las 1000 carreras: 10 accidentes impactantes de los últimos 50 años. Diario Clarín. Disponible en: https://www.clarin.com/deportes/automovilismo/formula-llega-1000-carreras-10-accidentes-impactantes-ultimos-55-anos_0_PBPCo8OO2.html