O desastre de Le Mans de 1955 e as suas consequências

18 de janeiro de 2020
Existe um antes e um depois da corrida de Le Mans de 1955 no que se trata de acidentes de carro. Um carro em chamas, suas partes voando pelo ar e muitas vítimas foi o saldo daquela tarde.

O desastre de Le Mans em 55 é o acidente mais trágico da história do automobilismo. Esse evento custou a vida de 82 espectadores e do piloto Pierre Levegh. A seguir, revisaremos o que aconteceu naquele dia fatal na cidade francesa.

Existe um antes e um depois desse acidente na história do automobilismo. Depois dele, percebeu-se que era essencial alterar os regulamentos de segurança para pilotos e espectadores.

O acidente de Le Mans em 1955

Em 11 de junho de 1955, às seis e meia da tarde e após três horas de corrida, Juan Manuel Fangio e Stirling Moss lideravam o evento, seguidos de perto por Mike Hawthorne e Ivor Bueb. Ambos os veículos estavam em vantagem em relação ao resto dos concorrentes.

Hawthorne, na luta pela vitória, ultrapassa o piloto Lance Maclkin na linha de chegada — ou seja, ele estava com uma volta de vantagem. No momento da execução da ultrapassagem, Hawthorne realiza uma manobra repentina e freia fortemente. Isso porque o piloto decidiu naquele momento entrar nos boxes.

Surpreso com essa manobra, Lance Macklin, que acabara de ser ultrapassado, balança para a esquerda. Atrás de Macklin, chegavam a toda velocidade as Mercedes de Pierre Levegh e “el Chueco” Fangio.

Levegh vê essas manobras em seu veículo e levanta a mão para avisar seu parceiro Fangio. Nesse instante, ele bate em Macklin, seu Mercedes voa e aterrissa na galeria principal, onde explode e pega fogo. Seu carro foi totalmente destruído e apenas a estrutura de ferro permaneceu após o incêndio.

Surpreendentemente, a corrida não foi suspensa. As vítimas e os feridos foram tratados e a pista foi limpa enquanto o resto dos veículos continuava competindo.

Largada do desastre de le mans

A organização da corrida justificou essa decisão dizendo que a evacuação dos feridos seria complicada caso os espectadores estivessem saindo do circuito ao mesmo tempo. Neste vídeo, você pode ver o momento do acidente. As imagens são realmente chocantes.

Consequências fatais do desastre de Le Mans

Como resultado do acidente, 82 espectadores e o piloto Pierre Levegh perderam a vida. Além disso, mais de 70 pessoas nas arquibancadas ficaram feridas.

Os momentos após o acidente foram realmente arrepiantes. A maioria dos espectadores morreu devido ao impacto do capô do veículo de Levegh. O motor e o chassi agiram como artilharia e o resto do veículo, como era principalmente feito de magnésio, pegou fogo.

Depois de ouvir a notícia do acidente fatal, a Mercedes decidiu sair da corrida, que naquele momento estava liderando. O evento afetou tanto a marca alemã que ela não competiu novamente até 1989.

De quem foi a culpa do desastre de Le Mans?

A princípio, a mídia disse que o piloto Mike Hawthorne era o principal culpado, já que foi ele quem iniciou o acidente em cadeia ao frear abruptamente para entrar nos boxes.

Posteriormente, sua equipe informou que ele havia sido avisado para entrar urgentemente para reabastecer gasolina, de modo que o piloto simplesmente cumpriu as ordens de sua equipe.

O desastre de Le Mans

Finalmente, Hawthorne foi considerado inocente. A investigação concluiu que o incidente fatal não foi culpa de nenhum motorista em particular, mas foi o resultado de um acidente de corrida. Essa decisão foi acompanhada de opiniões de vários especialistas e de um extenso relatório fotográfico.

Mudanças nos regulamentos de segurança

O evento foi um divisor de águas na legislação de segurança no mundo dos motores. Até aquele momento, os veículos de competição não tinham cinto de segurança, pois se pensava que ele prejudicaria a saída do carro em caso de incêndio.

Também não se usava roupas antichamas, portanto, a proteção em caso de incêndio era inexistente. O capacete não cobria toda a cabeça, mas apenas protegia a parte superior. Entretanto, a partir desse evento começaram a surgir novas regras mais seguras.

Finalmente, a segurança dos espectadores também foi aprimorada para evitar — tanto quanto possível — que os danos fossem fatais, como no caso de Le Mans. Embora tenha servido de estopim para a discussão dessas questões, é inevitável pensar que tal tragédia poderia ter sido evitada.

  • Le Mans 1955, el peor accidente en la historia del automovilismo deportivo. 2011. Motor Pasión. https://www.motorpasion.com/otras-competiciones/le-mans-1955-el-peor-accidente-en-la-historia-del-automovilismo-deportivo-parte-2
  • Desastre de Le Mans en 1955. Wikipedia. https://es.wikipedia.org/wiki/Desastre_de_Le_Mans_en_1955