As lesões mais comuns no basquete

15 de janeiro de 2020
Se você joga basquete, deve saber que sempre estará exposto ao risco de lesões. Neste artigo, informamos quais são as mais comuns na prática desse esporte.

O basquete é um dos esportes mais praticados em todo o mundo. Também é uma das atividades físicas mais exigentes fisicamente. Portanto, o risco de lesões está sempre presente. Neste artigo, você saberá quais são as lesões mais comuns no basquete.

O basquete é, sem dúvida, um esporte que oferece excelentes benefícios para a mente e para a saúde do seu coração. Há algo que é verdade: o risco de lesão é mínimo e insignificante em comparação a todas as suas vantagens. Além disso, prevenir e informar-se a respeito dessas lesões reduzem o risco de você sofrê-las.

Quais são as lesões mais comuns no basquete?

1. Capsulite nos dedos

Qualquer pessoa que joga basquete de maneira habitual provavelmente estará familiarizada com a primeira lesão da nossa lista. Infelizmente, é bem simples sofrê-la e muito complicado evitá-la. Uma capsulite nos dedos pode afastá-lo das quadras por algumas semanas.

Na maioria dos casos, as pessoas sofrem capsulite no dedos após receber um passe, ao tentar pegar um rebote ou arremessar a bola.

Causa inchaço significativo da articulação, que vem acompanhado de dor e impossibilidade de dobrar o dedo afetado. Felizmente, essa lesão geralmente requer apenas de uma a quatro semanas de recuperação.

2. Torção no tornozelo

Por ser um esporte tão técnico, em que o trabalho de pés é muito importante, as torções no tornozelo são muito comuns no basquete. Os jogadores podem torcer seus joelhos ao tentar driblar um adversário, ao fazer uma mudança de ritmo ou ao apoiar o pé após pular para pegar um rebote.

Quais são as lesões mais comuns no basquete?

Existem três graus possíveis de torção: grau 1, grau 2 e grau 3. Entre eles, a diferença mais determinante é a intensidade da dor e o quão afetados estão o tornozelo e os ligamentos, além do tempo de recuperação.

3. Torção no joelho

As torções no joelho podem ser causadas por uma parada ou uma mudança repentina na direção do movimento, com ou sem contato físico de outro jogador. Como acontece na torção no tornozelo, a dor pode ser sentida em uma área específica ou em todo o joelho.

Além disso, o inchaço pode ou não ser visível. Se você sofrer qualquer torção no joelho, consulte um médico para garantir que você não tenha sofrido uma lesão mais séria que tenha afetado os ligamentos e que possa precisar de cirurgia.

4. Tendinite no ombro

No basquete, o movimento repetitivo associado aos arremessos e passes requer muito esforço da cavidade do ombro, que é uma complexa rede de músculos, tendões e ligamentos.

Essa ação repetida pode causar inflamação ou irritação no tendão, que é conhecida como tendinite no ombro. Pessoas que a sofrem sentem uma dor persistente no ombro, principalmente ao levantar o braço acima da cabeça.

Como prevenir essas lesões comuns no mundo do basquete?

Se você deseja evitar essas lesões, não deixe de seguir nossas dicas. A primeiro delas, como sempre, é realizar um bom aquecimento.

O motivo é simples: o aquecimento permite preparar os músculos para a atividade esportiva e, acima de tudo, reduzir o risco de sofrer qualquer lesão inesperada.

Como prevenir as lesões mais comuns no basquete?

Da mesma forma, é necessário alongar os músculos antes e após o treinamento. Leve o tempo que for preciso para alongar adequadamente todos os músculos e articulações envolvidos nessa prática esportiva.

Por outro lado, manter-se hidratado também é importante. Não se esqueça de beber água constantemente, especialmente quando as temperaturas estiverem altas.

Por fim, também queremos recomendar que, se você é um amante do basquete, mas não joga há algum tempo, comece a treinar lentamente, aumentando gradualmente a intensidade. Escute seu corpo e não exceda seus limites.

Em suma, o basquete é um esporte que não é isento de inconvenientes físicos. Mas agora que você sabe quais são as lesões mais comuns e como evitá-las, você pode diminuir as chances de ficar lesionado e afastado das quadras por algumas semanas.

  • Manonelles Marqueta, P., & Tarrega Tarerro, L. (1998). Epidemiología de las lesiones en el baloncesto. Archivos de Medicina Del Deporte. Federación Española de Medicina del Deporte.
  • Naismith, J. (2006). Lesiones en el baloncesto. Fisioterapia ALTHEA. Retrieved from https://doctorvillanueva.com/lesiones-en-el-baloncesto/
  • Barcelona, F. (2009). Guía de Práctica Clínica de las lesiones. Apunts. Medicina de l’Esport, 164, 179–203.
  • Franco Bonafonte, L. (1998). Fisiología del baloncesto. Archivos de Medicina Del Deporte.