Dieta sem glúten saborosa: é possível?

· 15 de maio de 2019
Há diversos tipos de cardápios que podem ser criados para pessoas com alergia ao glúten. É só uma questão de selecionar os alimentos que são convenientes e descartar aqueles que são inadequados.

Criar uma dieta sem glúten mais saborosa requer um pouco de esforço. O essencial é manter uma dieta saudável sem ingredientes proibidos, especialmente nos casos de doença celíaca, alergia ao trigo ou sensibilidade ao glúten. Algumas pessoas também usam essa dieta para perder peso.

O glúten é uma proteína presente em grande parte dos alimentos ingeridos no café da manhã ou no jantar. Os alimentos à base de trigo, cevada, aveia, centeio ou espelta contêm, em maior ou menor grau, glúten.

Essa substância também se encontra no amido, nas massas, no pão ou na farinha. Alguns medicamentos, suplementos e vitaminas também contêm glúten.

Doença celíaca

A doença celíaca não pode ser curada, mas é controlável. Ela afeta o sistema imunológico de 1% da população mundial. Portanto, para essas pessoas, a ingestão de glúten causa danos ao intestino delgado.

Essa doença apresenta sintomas como dor abdominal, diarreia, depressão ou uma sensação de irritação. Além disso, ela é genética. Portanto, é detectada por um exame de sangue ou biópsia de tecido do intestino delgado.

O consumo de glúten em pessoas com esta doença danifica a mucosa do intestino e provoca inflamação. Como resultado, a absorção de nutrientes essenciais diminui. Isso causa um sério risco de deficiência nutricional.

O único tratamento para a doença celíaca é a dieta sem glúten. Sem ela, as chances de complicações aumentam. Além disso, podem ocorrer distúrbios autoimunes ou anemia por deficiência de ferro.

Adicionalmente, a doença celíaca também diminui a densidade óssea. Outras consequências podem ser a deficiência de folato e de vitamina B12.

Simultaneamente, normalmente ocorre um emagrecimento indesejado. Por fim, se o tratamento não for seguido, podem ocorrer vários tipos de câncer do intestino ou do cólon.

Sensibilidade ao glúten em não celíacos e alergia ao trigo

A dieta sem glúten é também uma solução para a sensibilidade ao glúten em não celíacos e para a alergia ao trigo. Essa dieta é frequentemente utilizada em planos de emagrecimento, embora as consequências para a saúde possam ser negativas.

Dieta sem glúten saborosa é possível.

Intolerância ao glúten

Em crianças, os problemas causados pela proteína do glúten são inchaço, gases, dores de estômago, diarreias ou náuseas. Ocorrem também irregularidades no peso e no crescimento.

Em adultos, os efeitos são menos invasivos: diarreia leve, anemia e constipação. A pessoa pode sentir cansaço, angústia, irritação, desânimo ou depressão. Outras manifestações são hematomas, hemorragias nasais, queda de cabelo, ausência de menstruação, cãibras e úlceras na boca.

Alimentos para uma dieta sem glúten saborosa

Para iniciar uma dieta sem glúten, você deve primeiro ter certeza de que sofre da doença celíaca. Esse quadro pode ser confirmado por uma biópsia intestinal. A dieta sem glúten irá acompanhar o indivíduo ao longo da vida, uma vez que uma pequena porção desta proteína pode gerar lesões nas vilosidades intestinais.

É essencial aprender a conviver com essa situação e conhecer os alimentos que não contêm glúten. O carrinho de supermercado deve incluir vitela, porco, aves, peixe, marisco e ovos. Além disso, frutas e vegetais frescos, congelados e embalados também devem ser comprados.

Produtos lácteos, sorvetes, waffles congelados, entre outros, também podem e devem fazer parte do cardápio semanal, prestando atenção apenas para evitar ingredientes com traços de glúten.

Ao comprar especiarias, é aconselhável ler os rótulos e saber escolhê-las. Elas serão essenciais para criar uma dieta saborosa. No mercado, vamos encontramos produtos refinados e bem embalados, mas isso não impede que contenham glúten.

Você também pode comprar especiarias moídas ou desidratadas. Seja como for, o importante é que o pacote especifique a frase “sem glúten”.

Por outro lado, deve-se evitar patês, salsichas, queijos derretidos ralados ou fatiados e conservas de carne e peixe, especialmente se contiverem molhos. O mesmo se aplica ao chocolate, cacau, molhos, derivados do café, nozes torradas ou fritas, doces, sorvetes e guloseimas. Todos esses produtos são arriscados para os celíacos.

Alimentos industrializados contém glúten.

Algumas boas opções para uma dieta sem glúten saborosa

As batatas fritas, gelatina, pudim, tortilhas de milho, pipoca, bolachas e bolos de arroz, nozes e sementes são excelentes escolhas. Outros alimentos que podem ser incluídos são geleias, mel, amido de milho ou de batata, manteiga de amendoim, melaço, açúcar mascavo, açúcar branco ou de confeiteiro.

Além disso, especiarias e ervas aromáticas, pimenta, molhos, sal, picles, mostarda, vinagres destilados e a maioria dos temperos para salada estão liberados e não podem faltar.

Os especialistas dão um prazo de seis meses a dois anos para um tratamento bem-sucedido baseado na dieta sem glúten. Tudo dependerá da condição do paciente e do monitoramento periódico para a evolução dos resultados.