Você sabia que a proteína do ovo pode diminuir a pressão arterial?

6 de janeiro de 2020
O ovo é um ingrediente frequente em seus pratos? Neste artigo, contamos por que ele deve ser incluídos nas suas refeições diárias.

Embora por muitos anos o ovo tenha sido considerado um alimento de qualidade duvidosa para a saúde, estudos mais recentes mostram o contrário: o ovo não afeta a pressão arterial e o colesterol sanguíneo. Além disso, trata-se de um alimento rico em proteínas de alto valor biológico, indispensáveis para a boa saúde muscular.

Anos atrás, a quantidade de ovos recomendada por semana era limitada. Hoje, os especialistas não limitam seu consumo. De qualquer forma, recomenda-se moderação, além de seguir uma dieta variada rica em frutas, verduras e alimentos frescos.

Influência do ovo sobre a pressão arterial

A presença de um peptídeo na proteína da clara do ovo que apresenta um efeito sobre a pressão arterial foi objeto de estudo de alguns pesquisadores. Aparentemente, trata-se de um peptídeo que atua como um inibidor da enzima conversora da angiotensina e, portanto, que bloqueia o aumento da pressão sanguínea.

No entanto, diz-se que a proteína do ovo submetida a um tratamento térmico produz um efeito anti-hipertensivo maior. Assim, o consumo de ovos pode ser um tratamento complementar ao uso de medicamentos anti-hipertensivos quando se trata de reduzir o nível de pressão arterial.

De qualquer forma, são necessários mais estudos que comprovem a eficácia deste peptídeo e o submetam a diferentes condições. Até o momento, acredita-se que o consumo regular de ovos pode ter um resultado semelhante à administração de uma dose baixa de captopril, mas sem o desenvolvimento de efeitos colaterais.

Influência do ovo sobre a pressão sanguínea

Todos os artigos publicados se referem a ensaios com animais. Dessa forma, torna-se necessário também estudos em humanos que permitam extrapolar as conclusões dos dados [1].

Ovo: um alimento completo

Além do que foi comentado, o ovo possui muitos outros nutrientes benéficos para a saúde. Primeiro, é um alimento rico em vitamina D [2], um nutriente deficiente em muitas pessoas.

Esta vitamina está intimamente relacionada à saúde óssea, ao sistema imunológico e à prevenção de doenças complexas. Trata-se de um micronutriente que o corpo pode sintetizar a partir da exposição ao sol. No entanto, em sua ausência, é necessário incluí-la na dieta.

Além disso, o ovo possui uma boa quantidade de ácidos graxos. Eles são, em sua grande maioria, do tipo saturado, mas, apesar das crenças populares, essas gorduras são necessárias para o funcionamento adequado do organismo.

Facilidade de preparo

Outra vantagem do ovo é que ele pode ser preparado de várias maneiras diferentes. Tanto frito como mexido são boas maneiras de consumi-lo. Seus modos de preparo geralmente são simples e rápidos. Além disso, é fácil combiná-lo com outros alimentos.

Só é necessário moderar o consumo de ovos fritos, devido aos produtos que podem ser formados a partir da fritura, como a acrilamida.

Não aumenta o colesterol

A dieta tem uma influência muito baixa nos níveis de colesterol no sangue. Poucos alimentos podem aumentar esse nível. Quando o fazem, são em valores muito pequenos.

Da mesma forma, existem poucas maneiras de reduzir o colesterol através da dieta, além do consumo regular de peixes azuis e frutos secos. Como advertência, deve-se ter cuidado com os ácidos graxos trans, que são os mais perigosos para a saúde cardiovascular.

Ovo: um alimento completo

Existem estudos em humanos sobre o consumo de ovos e o perfil lipídico que garantem que o consumo de 4 ovos por semana aumenta o colesterol da mesma maneira que o consumo de 16 ovos.

Portanto, há um pequeno aumento inicial, nada preocupante, que se mantém apesar de um aumento na ingestão do alimento. Além disso, hoje em dia também há dúvidas em relação à influência do colesterol sobre o risco de doença cardiovascular. Logo, tratam-se de parâmetros que não são totalmente claros.

Conclusão sobre o consumo do ovo

O ovo é um alimento muito interessante que deve estar presente na dieta de maneira habitual. É uma excelente fonte de proteínas para os músculos e uma fonte de vitamina D. Além disso, existem indícios de que pode apresentar um efeito anti-hipertensivo em humanos, algo interessante para combinar com medicamentos.

Por último, é possível desmistificar o fato de que o ovo influencia nos níveis de pressão arterial e de colesterol e que seu consumo semanal deve ser limitado. No entanto, sempre é mais apropriado ser aconselhado por um nutricionista para elaborar um plano nutricional adequado para as suas necessidades específicas.

  1. He H., Zhang T., Zhou J., Zhu Z., Na X., Zhou G., Zhuang G., Liu A., Associations of physical activity and egg intake with hypertension among Chinese middle-aged and older population. Sci Rep, 2019. 9 (1): 7722.
  2. Browning LC., Cowieson AJ., Vitamin D fortification of eggs for human health. J Sci Food Agric, 2014. 94 (7): 1389-96.