A vitamina E e a importância de incluí-la na dieta

· 21 de janeiro de 2019
Os efeitos positivos da vitamina E têm um impacto em vários sistemas do corpo. Seu consumo é também uma maneira interessante de combater a aparição ou sintomas de doenças crônicas ou degenerativas importantes.

É bem conhecido que, para levar uma vida plena e o mais longe possível de doenças, é muito importante ter uma dieta equilibrada e fazer exercícios constantemente. Através da comida, o organismo adquire todos os seus requisitos básicos. A vitamina E é um dos muitos elementos vitais.

Esta vitamina também é conhecida como tocoferol, e é uma substância solúvel em gordura, ou seja, que é consumida junto com alimentos que contenham gordura. Destaca-se pela sua grande capacidade antioxidante, mas é muito mais do que isso.

Fortalece o sistema imunológico

A vitamina E aumenta a capacidade de ação da principal linha de defesa do corpo contra o ataque de agentes estranhos. Contribui também para uma resposta imunológica rápida, uma capacidade que progressivamente se torna mais lenta ao longo dos anos.

Da mesma forma, esse nutriente diminui o aparecimento de doenças infecciosas e colabora para superá-las. Ela atua como um poderoso anti-inflamatório e facilita a correta cicatrização de feridas na pele.

Pessoa fazendo curativo em ferida no joelho

Melhora a circulação

A vitamina E tem a capacidade de afinar o sangue. Isso significa que evita a alta concentração de plaquetas. Graças a este efeito, a circulação é facilitada e os riscos de doenças arteriais são significativamente reduzidos.

Sua ação positiva no sangue favorece diretamente o coração. Uma qualidade superior do fluido vermelho implica uma necessidade de menos esforço para o coração bombear o plasma e todas as células sanguíneas para todos os cantos do corpo.

Protege a visão

Em bebês e crianças, a vitamina E é um elemento fundamental para o desenvolvimento correto do sistema de visão. Protege os globos oculares e diminui a manifestação de movimentos involuntários e não naturais das pupilas.

Menina fazendo teste de visão

As crianças que têm suas necessidade de vitamina E atendidas, preferencialmente desde o útero materno, são menos propensas a ter estrabismo. Essa patologia consiste na perda do paralelismo dos olhos, de modo que cada um olha para uma direção diferente.

Inimigo número um dos radicais livres

O corpo gera uma porcentagem moderada de radicais livres para combater vírus e bactérias. Os problemas aparecem quando o número deles cresce em excesso; isso pode produzir um efeito dominó, com resultados que podem ser perigosos. Para evitar esses cenários, os alimentos ricos em vitamina E são aliados muito bons.

Também conhecidos como antioxidantes, a lista que inclui outros elementos, como ômega 3 e luteína, além de tocoferol, provou ser uma proteção eficaz contra doenças degenerativas e envelhecimento celular.

A eficácia destes ingredientes ativos tem sido comprovada para prevenir o câncer de bexiga, próstata, cólon e reto; também para reduzir significativamente os riscos de doenças reumáticas, demência e degeneração muscular.

Para o cuidado da pele

A vitamina E cumpre uma função protetora da pele que vai muito além de sua ingestão. Muitos cremes comerciais têm esse elemento entre seus componentes ativos. Mesmo os suplementos alimentares vendidos em farmácias ou lojas de esportes podem ser usados ​​topicamente.

A aplicação do conteúdo de uma cápsula diretamente no rosto pode ser muito mais eficaz para reduzir as linhas de expressão do que muitas outras fórmulas especializadas. Também é eficaz na redução do aparecimento de rugas e para dar à pele uma aparência atraente.

Outras opções com suplementos alimentares de vitamina E, além de seu uso tradicional, envolvem utilizar esses produtos como protetor labial para prevenir o ressecamento ou para eliminar as estrias.

Vitamina E: onde encontrá-la?

A lista de alimentos ricos em tocoferol é ampla. Inclui vegetais como acelga, espinafre e brócolis e também alguns condimentos como páprica, manjericão e orégano.

As maiores quantidades estão concentradas em amêndoas, não só em seu estado natural, mas também em derivados como óleo ou leite. Temos também vitamina E em avelãs e pistaches, além de sementes cruas de gergelim, girassol e abóbora, kiwi e manga.