Como os suplementos afetam o nosso corpo

5 de fevereiro de 2019
O público consumidor de suplementos varia entre os 17 e os 30 anos e há mais homens do que mulheres que optam por esses produtos com o objetivo de exibir um corpo mais musculoso e definido.

Se você começou a ir para uma academia, provavelmente os frascos grandes com etiquetas brilhantes que ficam expostos na recepção ou na entrada do estabelecimento chamaram a sua atenção. Estes suplementos tão populares entre os fisiculturistas afetam o nosso corpo de várias maneiras.

Como? Vamos te contar neste artigo.

Suplementos alimentares: eles são necessários?

Esta pergunta tem várias respostas, dependendo de quem estiver respondendo. Por um lado, encontramos os defensores ferrenhos desses pós ou cápsulas mágicas – principalmente pessoas que fazem musculação.

Por outro lado, temos as pessoas que afirmam que eles são mais um problema do que uma solução, devido a como os suplementos afetam o nosso corpo, ou seja, aos seus múltiplos efeitos colaterais.

Muitas vezes, as doses ou os ingredientes não são levados em consideração ao incluir este tipo de produto na alimentação. Uma ingestão incorreta – tanto excessiva quanto deficiente – pode causar vários problemas de saúde.

Suplementos alimentares

Inclusive, isso se torna até mesmo um vício: ao deixar de consumir esses suplementos, o corpo volta à estaca zero e, assim, parece que você nunca conseguiu levantar nem sequer um haltere de um quilo a vida toda.

É necessário encarar este aspecto com seriedade já que o modo como os suplementos afetam o nosso corpo e os efeitos colaterais deste tipo de produto podem ser graves e irreversíveis.

Estamos falando de problemas nos rins (que levam à necessidade de diálise ou hemodiálise posteriormente), problemas hepáticos (visto que o fígado não consegue processar as substâncias que recebe) ou até mesmo disfunções sexuais. E estes são apenas alguns deles.

Suplementos e proteína: eles beneficiam ou prejudicam?

A proteína é uma das opções disponíveis entre os suplementos alimentares e também uma das mais consumidas. A apresentação mais comum é em cápsulas, embora ela também possa ser ingerida em forma de shake.

Neste último caso, ela se torna um lanche para o pré ou o pós  treino e pode ser encontrada em diferentes sabores (como por exemplo morango, baunilha, chocolate, etc).

Basicamente, a proteína atua no organismo gerando tecidos e ajudando no aumento da massa muscular e na redução da gordura ou do tecido adiposo.

No entanto, nem tudo são flores, como se diz popularmente, uma vez que estes suplementos podem causar efeitos adversos.

Agora, a única opção para ser musculoso é tomar esse tipo de proteína? Os especialistas indicam que não, já que dentro da alimentação comum é possível encontrar esse nutriente: o peito de frango é o exemplo mais claro disso.

O que acontece no caso de consumir proteínas naturais (ou pelo menos não 100% artificiais) é que os resultados demoram para chegar. Por outro lado, as pessoas que tomam suplementos percebem a diferença depois de alguns dias.

Porém, certamente é necessário tomar shakes ou cápsulas todos os dias para que, dessa forma, seja possível manter tudo o que foi conseguido.

Entre os atletas, é comum utilizar o Whey protein – extraído do soro de leite – e os aminoácidos  ramificados, que permitem recuperar a massa muscular e construir músculos.

O maior problema desses dois suplementos é que eles contêm ingredientes ‘contaminados’, ou seja, substâncias perigosas, tais como a fibrina, por exemplo, que estimula o sistema nervoso central.

Suplementos e proteína

Como os suplementos afetam o corpo: os riscos

Embora possam te dizer o contrário, os suplementos esportivos na forma de shakes ou cápsulas podem sim ser perigosos para a saúde, principalmente nos níveis renal, cardiovascular e ósseo.

Com a sua ingestão excessiva, o ácido úrico aumenta, o fígado e os rins não conseguem trabalhar adequadamente, o corpo fica cheio de toxinas e os vasos sanguíneos são danificados (muitas vezes de forma irreversível).

E isso não é tudo porque, como há sobrecargas renais, hepáticas e sanguíneas, a hipertensão, a taquicardia e os infartos do miocárdio em uma idade precoce são mais frequentes. Por sua vez, há alterações na matriz proteica dos ossos, o que leva a uma descalcificação e a uma maior propensão a fraturas e fissuras.

Assim, se você estiver pensando em tomar suplementos alimentares porque você viu na academia ou porque alguém que você conhece os utiliza, recomendamos que você consulte um médico ou um nutricionista.