A importância da comunicação no esporte

22 de outubro de 2019
A comunicação é uma habilidade que influencia todas as esferas da atividade humana. Agora, quando um grupo de pessoas luta por certos objetivos, ela se torna especialmente importante.

A comunicação no esporte não é o foco de atenção quando se fala em metodologia. No entanto, uma equipe com boa comunicação geralmente é mais bem-sucedida. O que implica uma boa comunicação? Como alcançá-la?

Primeiro, é necessário esclarecer que a comunicação como dispositivo de contato e interação entre humanos transcende o esporte. A capacidade de nos comunicarmos a níveis tão complexos quanto a linguagem e outros canais tem sido a base do desenvolvimento de nossas sociedades.

Isso porque a comunicação permite o desenvolvimento, a cooperação e o trabalho coordenado. Assim como na história da Torre de Babel, quando os seres humanos não conseguem se comunicar, também não conseguem atingir seus objetivos.

A comunicação no esporte

O esporte como atividade humana não escapa da necessidade de comunicação. Para entender as regras, trabalhar em equipe ou interagir com rivais e o público, seja de forma falada, com sinais ou através de gestos, a comunicação está sempre presente. Então, podemos vê-la em:

  • Treinamentos: o trabalho com preparadores físicos e técnicos requer boa comunicação. Precisamente, essa é  considerada “boa” quando é fluida e os receptores capturam corretamente a mensagem.
  • Jogos: principalmente entre companheiros, os atletas devem se entender muito bem dentro do campo de jogo. Compreender o que o outro fará através de um olhar, um gesto ou uma frase à distância é essencial.

O que é a comunicação?

A comunicação é alcançada quando um emissor envia uma mensagem para um receptor através de um canal. No entanto, a comunicação nunca é clara, concisa e direta, pois geralmente existem várias interferências.

Importância da comunicação no esporte

No esporte, essas interferências são especialmente relevantes e é de grande importância que os atletas adquiram a capacidade de superá-las. Entre as principais, podemos destacar:

  • Ambientes saturados de ruído: os cenários em que a atividade esportiva geralmente ocorre têm muito ruído dos torcedores, o que pode dificultar a comunicação entre os participantes.
  • Presença de rivais: muitas vezes as mensagens precisam ser criptografadas, o que se consegue quando os membros da equipe se entendem muito bem.
  • Múltiplas funções: existem muitos participantes em uma equipe e, por sua vez, muitas funções. Se a comunicação não estiver bem estruturada, isso pode ser um problema.

Comunicação assertiva: fundamental no esporte

A nível psicológico, a comunicação é um pilar para que os membros da equipe possam realizar suas tarefas de acordo com certas diretrizes. Uma comunicação vertical e de comando por parte dos treinadores poderia deixar as diretrizes claras, mas não ser assertivas, por carecer de bidirecionalidade.

A comunicação assertiva é alcançada quando um atleta, além de receber ordens estratégicas, faz parte do processo em que se desenvolvem decisões. Quando um atleta se sente parte de um projeto, significa que se sente ouvido, que tem voz dentro da equipe.

Um atleta precisa se sentir reconhecido por mais do que suas habilidades esportivas. Por isso, quanto mais participação tiver no processo de comunicação, melhor será seu rendimento pessoal e da equipe.

O papel do treinador

Os treinadores, além de serem um ponto de referência, são os que transmitem as diretrizes de funcionamento da equipe. Então, alcançar uma comunicação assertiva irá depender principalmente do estilo de comunicação do treinador. Algumas dicas podem ser as seguintes:

  • Ser claro e conciso: não é necessário deixar aspectos relacionados ao jogo abertos à interpretação. É necessário ser claro nas ideias, nos conceitos e na maneira como são transmitidos.
  • Ser direto: a comunicação através de terceiros não é a mais assertiva e geralmente gera o efeito de um telefone sem fio.
  • Usar vários recursos: a comunicação nem sempre é falada, um treinador precisa gesticular, escrever, desenhar e usar todos os meios à sua disposição para transmitir suas ideias.
  • Permitir a inclusão: um treinador deve fazer com que seus atletas se sintam ouvidos sem que isso interfira demais em suas ideias de jogo. Então, deve estabelecer uma comunicação bidirecional. Nesse sentido, o feedback é a ferramenta pela qual as necessidades e emoções de todos podem ser ouvidas.
Treinador com equipe de futebol infantil

  • Convencer: ser carismático depende de uma comunicação assertiva. Se os atletas confiam no treinador e entendem como ele transmite as coisas, será mais fácil convencê-los de que podem alcançar os objetivos.

Feedback: outra chave da comunicação no esporte

Quando a mensagem morre no receptor sem a possibilidade de receber uma resposta, ocorre um problema de comunicação. O feedback – retroalimentação – é a base de uma comunicação baseada em alcançar objetivos esportivos.

Pode-se dizer que é um dispositivo para que os membros de uma equipe, em qualquer nível, recebam uma avaliação de desempenho e também possam emiti-la. Isso é válido tanto para atletas quanto para treinadores.

Quando vemos um conflito evidente entre atletas do mesmo time ou com seus treinadores, significa que não foram usados os meios correspondentes ​​para resolução.

Daí a importância do uso de mecanismos de comunicação assertivos, nos quais todos os membros de uma equipe possam expressar suas opiniões e resolver conflitos nos ambientes correspondentes.

Embora para muitos não pareça uma questão indispensável no campo esportivo, todos esses aspectos ligados à comunicação no esporte serão refletidos diretamente em jogo. É sempre positivo levá-los em consideração e colocá-los em prática!

  • Aicart, L. M., Fernández, I. C., López-Walle, J., & Solá, I. B. (2017). Controlling coach style, basic psychological need thwarting and ill-being in soccer players. Revista de Psicologia del Deporte, 26(4), 119-124.
  • García-Angulo, A., García-Angulo, F. J., Torres-Luque, G., & Ortega-Toro, E. (2019). Applying the new teaching methodologies in youth football players: Toward a healthier sport. Frontiers in Physiology, 10(FEB). https://doi.org/10.3389/fphys.2019.00121
  • Torrado, J., Arce, C., Vales-Vázquez, Á., Areces, A., Iglesias, G., Valle, I., & Patiño, G. (2017). Relationship between Leadership among Peers and Burnout in Sports Teams. The Spanish Journal of Psychology, 20, E21. https://doi.org/10.1017/sjp.2017.18