Como um atleta pode superar a angústia causada pela quarentena?

20 de maio de 2020
A quarentena é um período atípico que quebrou a rotina de treino daqueles que praticavam esportes. É por isso que os atletas devem aprender a gerir a angústia e as emoções negativas naturais deste período.

Todo atleta deve aprender modos para superar a angústia causada pela quarentena. Durante esse período, é normal experimentar diversas emoções, tanto agradáveis quanto desagradáveis, mas é necessário tentar manter uma atitude positiva e não se deixar levar pela negatividade.

A angústia causada pela quarentena não afeta todas as pessoas por igual, e nem todos os atletas. Aqueles que têm a sua rotina de treinamento mais afetada, assim como sua forma física, são mais suscetíveis a sentir angústia.

Pelo contrário, continuar com a rotina de treinos de forma adaptada, no próprio lar, pode levar um atleta a não ser tão negativamente influenciado pela situação.

Durante as últimas semanas, foi possível perceber que esse ano de 2020 será algo muito atípico no que diz respeito ao mundo dos esportes. Muitos eventos foram adiados para o ano que vem, como os Jogos Olímpicos e a Eurocopa. Outros, como as ligas de futebol, estão suspensas e não se sabe quando elas serão retomadas.

O atleta deve fazer um trabalho psicológico contínuo para superar a angústia causada pela quarentena. Por isso, neste artigo daremos alguns conselhos para conseguir alcançar esse objetivo.

Controle as emoções desagradáveis com técnicas de relaxamento

As técnicas de relaxamento são muito úteis para acalmar os sintomas físicos da ansiedade. Existem técnicas clássicas como a respiração diafragmática ou o relaxamento muscular de Jacobson, que ajudam a encontrar o estado de bem-estar físico e mental necessário para superar a angústia.

Segunda uma pesquisa de 2011 publicada na Revista de psicopatologia e psicologia clínica, foi demonstrado que outras formas de relaxar, como a meditação e o mindfulness, também são muito eficazes.

Ainda que essas técnicas sejam desconhecidas para você, é possível encontrar sessões guiadas na internet, assim como tutoriais criados por profissionais para aprender a habilidade de relaxamento.

Garota meditando

Criatividade para diminuir a angústia causada pela quarentena

Treinar em casa nem sempre é simples. As limitações de espaço e equipamento podem ser desmotivantes na hora de colocar a mão na massa. É por isso que é essencial ser criativo e pensar em novos modos de se exercitar. Lembre-se de que se mexer ajudará a se sentir realizado e melhorará seu humor.

Os objetos da nossa casa podem muito bem substituir o equipamento da academia. Também não faz falta não ter um quintal enorme para fazer um treino aeróbico. A criatividade consiste em encontrar uma nova utilidade para os objetos que temos dentro do nosso lar, e em saber aproveitar o espaço ao máximo.

Um exercício que trabalha a criatividade consiste em olhar ao redor e pensar em outros usos para os objetos visíveis. Isso exige avaliar características – peso, forma, material – que sejam similares ao equipamento disponível na academia.

Mantenha os pensamentos negativos longe

A relação entre os pensamentos negativos e a angústia é circular. Ou seja, os pensamentos negativos sobre o futuro aumentam a angústia e esta, por sua vez, aumenta a quantidade de pensamentos negativos.

É fundamental romper esse ciclo mantendo uma atitude positiva em relação ao futuro. Uma atitude positiva não quer dizer se alienar e não enxergar a realidade, mas sim estar consciente da situação atual e ver o mundo com otimismo e esperança.

Pensar no futuro pode esgotar qualquer um, e não traz benefícios neste momento. A quarentena é uma situação nova e ninguém pode prever o que vai acontecer amanhã. Por isso, a atenção deve estar no aqui e agora e os pensamentos devem ser dirigidos para o presente.

Estar conectado com as pessoas ao seu redor

O contato social tem múltiplos benefícios para todas as pessoas. No caso dos atletas, os treinadores, os preparadores físicos e os companheiros de equipe são uma parte essencial de suas vidas.

Já que durante a quarentena o contato com os outros é mais restrito, é necessário buscar novas maneiras para poder falar com os amigos e familiares. A tecnologia pode ajudar nessa tarefa, já que ela permite estar em contato com outras pessoas, nem que seja através de uma tela.

Mulher conectada nas redes sociais

Uma pesquisa publicada na revista científica Cadernos de Neuropsicologia afirma que o contato social – seja ele pessoal ou à distância – libera oxitocina, um hormônio que inibe o estresse. Por isso, quanto mais oxitocina o cérebro libera, menor será a angústia.

É possível superar a angústia causada pela quarentena!

Ainda que as emoções sejam muito intensas durante este período, é possível geri-las de modo eficiente. Os especialistas recomendam para a população em geral o estabelecimento de rotinas, e não é diferente no caso dos atletas ou daqueles que praticavam esportes antes do isolamento ser a recomendação oficial.

É necessário tentar estabelecer e manter uma rotina de treinamento diária. As possibilidades e os exercícios são infinitos, você precisa apenas ser criativo ao olhar ao seu redor.

  • Martino, P. (2014). Aspectos comportamentales de la oxitocina: su influencia en el estrés y en la cognición social. Cuadernos de Neuropsicología/Panamerican Journal of Neuropsychology, 8(2).
  • Miró, M. T., Perestelo-Pérez, L., Pérez Ramos, J., Rivero, A., González, M., y Serrano, P. (2011). Eficacia de los tratamientos psicológicos basados en mindfulness para los trastornos de ansiedad y depresión: una revisión sistemática= Effectiveness of mindfulness based treatments for anxiety and depressive disorders: a systematic review.