Os diferentes tipos de dor no ombro

29 de junho de 2020
A complexidade do ombro significa que a dor nessa área pode ter várias causas.

O ombro é uma estrutura complexa composta por vários tecidos diferentes. Além disso, a mobilidade dessa articulação exige que todos esses tecidos funcionem de maneira coordenada. Qualquer alteração pode levar ao aparecimento de dor no ombro, por isso há diferentes causas. Vamos abordar as mais frequentes a seguir.

O ombro

Para entender de onde pode surgir uma dor no ombro, vamos dar uma breve olhada na forma anatômica nele. O complexo articular do ombro consiste em três ossos: úmero, omoplata e clavícula. Assim, o ombro é afetado pelo braço, costas e parte superior da frente do tronco.

Além disso, para manter a cabeça do úmero firme na cavidade da escápula, temos uma série de músculos com seus tendões correspondentes. E tanto essa articulação quanto a articulação da omoplata e da clavícula têm sua cápsula articular correspondente, encarregada de cobri-las, protegê-las, estabilizá-las e lubrificá-las.

Por fim, também temos vários ligamentos que suportam ambas as articulações e ajudam a tornar os movimentos naturais.

Dor no ombro

Para adicionar outro grau de complexidade à dor no ombro, é preciso lembrar que pode se tratar de uma dor externa ou irradiada. Essa última acontece quando existe outra estrutura afetada, mas notamos desconforto no ombro, mesmo que as suas estruturas estejam saudáveis.

Dor local

Vamos começar analisando as causas da dor no ombro que se originam na mesma articulação:

  • Tensão na musculatura do pescoço. Pessoas com uma má postura corporal podem ter muitas tensões nos músculos do pescoço e na parte superior do tronco. Estre estes, estão incluídos vários músculos que se inserem no úmero ou na clavícula.
  • Dano traumático nos músculos ou ossos. O sobretreinamento ou uma queda pode ferir qualquer uma dessas estruturas e causar dor.
  • Inflamação da cápsula articular. A inflamação desse tecido mole e do líquido dentro dele é chamada de bursite, e pode acontecer devido a esforços repetitivos na má postura ou a uma lesão aguda. Outra patologia relacionada à cápsula articular é o chamado ombro congelado, que limita a mobilidade.
Dor no ombro

  • Tendinite, também devido a um esforço excessivo ou esforços repetidos prolongados. Os tendões ficam inflamados e causam dor quando são usados.
  • Instabilidade articular. Se tivermos uma luxação no ombro, na qual o úmero sai da cavidade da escápula, os tecidos circundantes enfraquecerão. Isso nos deixará mais propensos a subluxações, nas quais o osso sai parcialmente. A luxação será mais evidente, mas uma subluxação pode causar dor sem oferecer sintomas muito claros.
  • Artrite e artrose. Devido à idade, as estruturas corporais ficarão mais propensas a sofrer essas patologias. O desgaste acumulado pelo uso continuado por várias décadas pode acabar afetando as articulações, inflamando-as (artrite) e diminuindo o espaço entre elas, causando atrito e desgaste (artrose).
  • Câncer ou infecções. Com muito menos frequência, também pode ser que uma dessas duas patologias cause dor.

Dor relacionada

Por outro lado, se realizarmos exames médicos para determinar a origem da dor e nenhuma lesão tecidual interna aparecer, devemos procurar uma causa relacionada. Nesta seção, falaremos sobre os seguintes casos:

  • Dor transmitida através de um nervo. Um problema nas raízes nervosas do pescoço pode causar dor no ombro, além de sintomas como formigamento nas mãos.
  • Dor causada por órgãos internos. Patologias do coração, abdômen ou pulmões também podem causar dor no ombro. Nesses casos, a dor não piora ao movimentar a articulação.
Dor relacionada ao ombro

Diagnóstico diferencial da dor no ombro

É importante procurar um especialista se não soubermos a origem da dor no ombro. Podemos ir a um médico, que pode nos ajudar prescrevendo exames como o raio X ou a ressonância magnética.

O raio X nos ajudará a descartar problemas ósseos, enquanto as patologias relacionadas aos tecidos moles são detectadas nas ressonâncias magnéticas.

Por outro lado, também podemos ir ao fisioterapeuta. Os exames musculares e articulares que esses profissionais realizam indicam se é um problema que eles podem tratar ou se devemos procurar outro especialista.

No caso de uma condição muscular, eles serão capazes de descobrir exatamente qual músculo está sendo afetado e nos dizer a melhor maneira de tratá-lo.

  • Aguilera Eguía R. A., Zafra Santos E. O., Araya Quintanilla F. A., Gómez Carreño L. E., Soto Aliaga J. X., Vargas Varga A. et al . Uso del taping en el manejo clínico de sujetos con pinzamiento sub-acromial: revisión sistemática. Rev. Soc. Esp. Dolor  [Internet]. 2014  Feb [citado  2019  Dic  03] ;  21( 1 ): 39-49.
  • Regí Bosque Meritxell, Villar Balboa Iván. Cervicobraquialgia: síntoma inicial del Síndrome de Pancoast. Rev Clin Med Fam  [Internet]. 2013  Feb [citado  2019  Dic  03] ;  6( 1 ): 51-53.
  • Udaondo Cascante M. A., Teresa Romero G. de, Casado Vicente V.. El hombro doloroso a través del razonamiento clínico. Medifam  [Internet]. 2003  Mar [citado  2019  Dic  03] ;  13( 3 ): 68-72.