Como o diabetes afeta o treinamento

· 9 de abril de 2019
O exercício físico é um grande aliado no combate a essa doença e seus sintomas, mas é necessário conhecer a reação da glicose à atividade física para dessa forma saber como o diabetes pode afetar o treinamento

A prática regular de algum exercício físico está associada com uma melhor saúde em geral e, principalmente, com a prevenção de determinadas doenças. No entanto, quando uma pessoa for diagnosticada com esta doença, ela deve tomar certas precauções antes de fazer exercício e procurar saber como o diabetes afeta o treinamento.

Benefícios gerais da atividade física

Foi comprovado que as pessoas que realizam alguma atividade física de forma regular vivem mais tempo e têm uma melhor qualidade de vida. Existe uma campanha mundial para combater o sedentarismo, que é a causa de muitas doenças cardiovasculares.

Diabetes

Além de melhorar o controle da glicose, o exercício tem muitos outros benefícios para o corpo. Por exemplo, ajuda a alcançar um peso adequado ao aumentar o gasto de calorias, ajuda a manter níveis normais de colesterol e triglicerídeos no sangue e a manter a pressão arterial dentro dos limites recomendados.

O treinamento físico diário também produz uma sensação de bem-estar e contribui para uma melhor integração social. Assim, os benefícios da atividade esportiva atingem a área social da pessoa, não apenas sua saúde, bem-estar, controle de peso, etc.

O diabetes no treinamento

Uma pessoa com diabetes não só pode, mas também deve praticar alguma atividade física. Se você praticava algum esporte antes de ser diagnosticada com esta doença, deve portanto tentar continuar praticando regularmente.

No entanto, se for um esporte de alta intensidade, é aconselhável passar por um período de adaptação; nesse momento, o exercício será progressivamente aumentado.

Se o paciente com diabetes não praticava nenhum tipo de atividade física antes de ser diagnosticado, é muito aconselhável que comece a fazer isso. Vamos focar nosso treinamento no controle da glicemia e no alcance ou manutenção do peso adequado.

O exercício ajuda a baixar a glicemia de diferentes maneiras. Por um lado, o treinamento aumenta a sensibilidade à insulina; as células aproveitam a insulina que está disponível para usar a glicose durante o treino, bem como nas horas seguintes.

Por outro lado, a contração dos músculos durante a atividade física faz com que as células consumam glicose. Esta substância será usada então como fonte de energia.

O efeito de redução da glicose que o treinamento proporciona pode durar até 24 horas após o exercício; dessa forma, o corpo se torna mais sensível à insulina.

Um diabético pode controlar seus níveis de glicose antes e depois do treino; dessa forma, poderá então avaliar os benefícios. Esta também é uma boa maneira de encontrar o tipo de exercício que melhor se adapta às suas necessidades.

Como o diabetes tipo I afeta o treinamento

No caso de pacientes com diabetes mellitus tipo 1, é preciso ter paciência; é possível que o exercício não alcance um melhor controle da doença imediatamente. Para que o treinamento tenha o efeito desejado, é necessário ter uma prática diária.

Além disso, esta atividade também deve levar em conta alguns fatores: por exemplo, a hora do dia em que é realizada, sua intensidade e duração. Também é preciso controlar o nível de glicose antes do exercício, assim como a quantidade de insulina utilizada.

Além disso, podemos adaptar o horário de treino às refeições e à ação da insulina. Por outro lado, é preferível que o exercício seja feito todos os dias na mesma hora. Pode-se consumir uma dose extra de carboidratos antes ou durante o exercício para assim evitar a hipoglicemia.

Como o diabetes tipo II afeta o treinamento

No caso do diabetes mellitus tipo II, também há benefícios em fazer exercício; muitos estudos demonstraram que a atividade física é capaz de prevenir o diabetes em pacientes com alto risco.

Exercitar-se também é muito eficaz para controlá-lo, porque contribui para a diminuição do peso corporal; da mesma forma, ajuda a manter a pressão arterial dentro dos limites normais.

O efeito do exercício pode até mesmo ser semelhante ao dos medicamentos usados para tratar esta doença. É, portanto, um excelente remédio natural.

Como o diabetes tipo II afeta o treinamento

Os exercícios ideais são os aeróbicos, pois favorecem a circulação e ajudam a controlar o peso. É importante que o treinamento seja diário; bem como que tenha a mesma duração e intensidade.