A poluição anula os benefícios do exercício para a saúde?

8 de agosto de 2019
Os benefícios do exercício para a saúde já estão mais do que comprovados. No entanto, em certos ambientes, esses efeitos são reduzidos. Esse é o caso dos esportes ao ar livre em cidades ou espaços com um alto nível de poluição ambiental.

A poluição das cidades pode diminuir os benefícios do exercício físico. Os danos ambientais das várias indústrias, o tráfego de automóveis e outros fatores poluentes começaram a se tornar preocupantes, inclusive para fazer algo tão simples quanto sair para correr, jogar tênis ou andar de bicicleta.

Ao longo dos últimos anos, estudos investigaram os efeitos da poluição do ar na prática de exercício ao ar livre. Nesses estudos, o resultado quanto à perda dos benefícios do exercício devido a um ambiente poluído foi impactante.

Por tudo isso, o uso de um protocolo para situações de poluição está sendo promovido em algumas cidades do mundo. Em Madri, por exemplo, é recomendado que os madrilenhos saiam para correr usando uma máscara, tendo em vista a nuvem de poluição que envolve a cidade.

Por que a poluição reduz os benefícios do exercício?

Transitar através de uma área com ar poluído é tóxico para o corpo, especialmente ao fazer exercícios. Antes de optar por um treino de corrida, bicicleta ou qualquer esporte ao ar livre, é necessário escolher rotas livres de poluição ambiental, especialmente em certas cidades que são mais poluídas do que outras.

As toxinas liberadas pela combustão de diferentes poluentes acarretam diferentes graus de risco para o organismo. Os efeitos serão vistos a médio e longo prazo.

O problema com o exercício é que o corpo consome pelo menos 20% mais ar do que em um estado de repouso ou atividade regular. Isso não apenas limita os benefícios do exercício, mas também multiplica o nível de dano.

Consequências de respirar ar contaminado ao fazer exercício

O dano de respirar ar contaminado ao fazer atividades físicas se dá pela acentuada formação de radicais livres. Ao inalar uma quantidade maior de toxinas, os sistemas respiratório e cardiovascular são diretamente afetados.

Dicas anti-poluição

Por um lado, metais pesados são acumulados nos pulmões, que se tornam incapazes de filtrar o excesso de poluição. De acordo com o nível de exposição a esse ar, os danos podem variar desde uma bronquite crônica até um câncer, passando por um edema pulmonar.

Quanto ao sistema cardiovascular, grande parte dos benefícios obtidos através dos exercícios é anulada. A circulação começa a se tornar cada vez mais lenta e menos fluida.

Se o problema persistir e se continuarmos a treinar em um ambiente poluído, as artérias se tornarão cada vez mais fracas. Como consequência, o coração ficará exposto a doenças de todos os tipos.

Soluções?

Se o que polui o meio ambiente é, principalmente, a alta concentração de toxinas no ar, o uso de máscaras que aliviam o trabalho pulmonar é uma solução viável. Embora seja algo desconfortável, é inegável que esses dispositivos são responsáveis por filtrar partículas poluidoras.

Muitas pessoas ficam surpresas com a perspectiva de usar uma máscara para fazer os esportes que fizeram durante a vida inteira sem nenhum risco. No entanto, as pessoas que se exercitam frequentemente percebem o desconforto nas narinas, entre outros sinais de alerta.

Para a tranquilidade daqueles que possam precisar, há máscaras antipoluição disponíveis no mercado e existem vários modelos. Nesse sentido, é bom saber que algumas são mais eficientes do que outras para bloquear a passagem de toxinas.

Outras opções são o treinamento de baixa intensidade, para que a frequência cardíaca não aumente. Considera-se também que, nas primeiras horas da manhã, o ar geralmente está mais limpo do que na parte da tarde.

Consequências de respirar ar contaminado ao fazer exercícios

Dicas antipoluição

Certamente uma recomendação útil é limpar as narinas após o exercício. De fato, isso ajuda a evitar que as vias aéreas fiquem irritadas e inflamadas. Elas devem ser limpas apenas com água, assoando o nariz para que os resíduos que tenham entrado sejam expelidos.

As pessoas com problemas respiratórios crônicos, como a asma, por exemplo, não devem treinar em áreas com altos níveis de poluição. Também não é conveniente que isso seja feito pelas pessoas que sofrem de doenças cardiovasculares.

Em conclusão, é importante não continuar treinando se surgirem dificuldades para respirar ou se houver um grande cansaço repentino. Os benefícios do exercício são reduzidos, anulados e até mesmo desaparecem em áreas muito poluídas.