Agachamentos traseiros para desenvolver a potência

· 26 de abril de 2019
Entre as tendências fitness atuais estão os agachamentos traseiros. Seus benefícios para o corpo são muito amplos e há uma grande variedade de exercícios que podem ser feitos.

O agachamento é um dos exercícios mais simples e tradicionais do treinamento físico. No entanto, a sua eficácia fez com que diferentes variações fossem criadas ao longo dos anos. Atualmente, os agachamentos traseiros são uma das tendências do mundo fitness, já que eles permitem melhorar a potência e tonificar a cadeia posterior.

A seguir, vamos falar não apenas sobre o agachamento traseiro, mas também vamos resumir as principais variações do agachamento. Assim, depois de entender o propósito de cada exercício, será mais fácil escolher o tipo que melhor se adapta às suas expectativas e necessidades.

3 variações de agachamento para tonificar os músculos

Apesar pensarmos no fitness como algo moderno, a ginástica acompanha a humanidade desde tempos muito remotos. De fato, o condicionamento físico foi essencial para a sobrevivência da nossa espécie, assim como o desenvolvimento intelectual e a vida comunitária.

Logicamente, com o avanço da ciência e da tecnologia, o treinamento físico foi grandemente beneficiado. Hoje em dia temos uma enorme variedade de aparelhos, acessórios e atividades específicas para trabalhar cada parte da musculatura, melhorar a potência e a resistência física.

Em relação aos agachamentos, eles se tornaram parte fundamental dos treinos de força e tonificação muscular. Atualmente existem mais de dez tipos de agachamento, cada um com uma aplicação específica, usando diferentes posturas, cargas e profundidades.

Estas são as três principais variações do agachamento e a sua contribuição para o treinamento:

1. Agachamentos traseiros para a potência

Os agachamentos traseiros são o exercício mais eficaz para as pessoas que querem melhorar a potência e a força. A principal razão é que é possível levantar mais peso nesta variação do que nos outros tipos de agachamento.

É necessário lembrar que os agachamentos traseiros trabalham os músculos de uma maneira especial. Os pesos colocados sobre os trapézios fazem o corpo se inclinar ligeiramente para a frente. Como já sabemos, não podemos fazer agachamentos com o corpo perfeitamente ereto.

os agachamentos traseiros trabalham os músculos de uma maneira especial

Esta ligeira inclinação gera uma tensão ou estresse nos isquiotibiais e nos glúteos. Ao mesmo tempo, exige os músculos da parte superior e média, pois é necessário manter o equilíbrio.

A profundidade e os pesos devem ser aumentados progressivamente, de acordo com o condicionamento físico e a adaptação ao agachamento. Em um nível avançado, o ideal é que a pessoa consiga levar os quadris abaixo dos joelhos ao fazer agachamentos traseiros.

Logicamente isso leva tempo, prática e muita dedicação, mas os resultados não demoram a aparecer quando uma consistência no treino é mantida. A melhora na força da cadeia posterior é rapidamente percebida, assim como a melhora da musculatura nessa região.

2. Agachamentos frontais para o quadríceps

Os agachamentos frontais com pesos são altamente recomendados para quem procura tonificar as pernas e melhorar a estética do corpo. Essa variação é um pouco mais simples do que os agachamentos traseiros e tem como objetivo trabalhar o quadríceps.

Agachamentos frontais para o quadríceps

Para a sua execução sempre são utilizadas cargas mais baixas do que as usadas nos agachamentos traseiros. A carga frontal mantida na altura dos ombros ‘força’ o corpo a permanecer ereto e a manter o equilíbrio para não cair de cara no chão.

Como consequência, a repetição do movimento dos agachamentos frontais trabalha não apenas o quadríceps, mas também exige os músculos abdominais e os extensores inferiores das costas.

Além disso, também vale a pena ressaltar que este exercício requer concentração e coordenação motora. Então, logicamente, sua mente e seu foco de atenção também serão trabalhados.

3. Agachamentos goblet

Os agachamentos goblet remontam a uma ginástica mais clássica ou rústica, com um nível de complexidade menor. Por isso, eles são a melhor opção para quem quer começar a praticar este tipo de exercício gradualmente e se beneficiar com os seus resultados.

Mulher fazendo exercício com peso

A técnica de execução é quase idêntica à do agachamento frontal. No entanto, em vez de usar a barra com os pesos, usamos um haltere ou um kettlebell – estes acessórios devem sempre estar na altura do peito. O movimento básico consiste em flexionar os joelhos e quadris, adotando uma posição agachada.

Em suma, independentemente da variação escolhida, os agachamentos são exercícios muito positivos e muito eficazes para alcançar o condicionamento físico ideal. No entanto, lembre-se sempre de ter a autorização do médico antes de começar a praticá-los.

  • Gullett, J. C., Tillman, M. D., Gutierrez, G. M., & Chow, J. W. (2009). A biomechanical comparison of back and front squats in healthy trained individuals. Journal of Strength and Conditioning Research23(1), 284–292. https://doi.org/10.1519/JSC.0b013e31818546bb
  • Kritz, M., Cronin, J., & Hume, P. (2009). The bodyweight squat: A movement screen for the squat pattern. Strength and Conditioning Journal31(1), 76–85. https://doi.org/10.1519/SSC.0b013e318195eb2f
  • Kushner, A. M., Brent, J. L., Schoenfeld, B. J., Hugentobler, J., Lloyd, R. S., Vermeil, A., … Myer, G. D. (2015). The back squat: Targeted training techniques to correct functional deficits and technical factors that limit performance. Strength and Conditioning Journal37(2), 13–60. https://doi.org/10.1519/SSC.0000000000000130
  • Glavina, B., & Pérez, J. (2009). Actividad muscular lumbar durante el ejercicio de sentadillas y su relación con sujetos de diferentes características físicas. Revista Iberoamericana de Fisioterapia y Kinesiologia12(2), 67–72. https://doi.org/10.1016/j.rifk.2009.10.005