Treinamento de força para pessoas jovens

25 de setembro de 2019
Um dos mitos com relação ao treinamento de força é que ele pode ser prejudicial se for praticado por pessoas jovens. No entanto, isso não é verdade.

Atualmente, uma das questões sobre as quais há mais desinformação é o treinamento de força para pessoas jovens e desde uma idade precoce. Como todos já sabemos, o treinamento de força com uma estrutura ruim ou que não esteja adaptado a cada indivíduo pode ser prejudicial à sua saúde.

No entanto, o treinamento de força desde uma idade precoce tem o respaldo da ciência:

  • Por exemplo, um estudo americano demonstra que o treinamento de força, desde que adequadamente projetado, contemplando uma boa progressão tanto em intensidade quanto em volume e que seja realizado sob a supervisão de um profissional, pode ser benéfico para o desenvolvimento físico e psicológico de pessoas jovens.
  • Da mesma forma, pesquisas recentes mostram que um jovem de cerca de 12 anos de idade pode experimentar um progresso da força semelhante ao de um adulto, embora eles não sejam comparáveis ​​em termos absolutos, devido ao fator hormonal. Esses estudos admitem que essa melhora na força possa atingir 30% do seu valor inicial.

Benefícios do treinamento de força para pessoas jovens

Agora que já sabemos que essa população de pessoas jovens tem o potencial de melhorar os seus níveis de força sem prejudicar a sua saúde, devemos considerar quais são os benefícios que isso traz:

  • O treinamento de força reduz o risco de lesões em qualquer atividade cotidiana ou esporte. A maioria das atividades físicas envolve um trabalho de força muscular, que pode ser melhor desenvolvido em jovens que treinam essa habilidade.
  • A prática precoce de exercícios de força multiarticulares pode ter efeitos sobre o desempenho em outros esportes ou atividades graças ao desenvolvimento motor desses indivíduos.
Treinamento de força

O treinamento de força para pessoas jovens e o seu crescimento

Um dos mitos mais difundidos na população em geral, muitas vezes causado pela desinformação, é a ideia de que o treinamento de força para pessoas jovens possa ameaçar o seu crescimento.

Atualmente, não há evidências científicas de que o trabalho de força desde idades precoces altere o crescimento ósseo. Na verdade, assim como discutimos anteriormente, existem dados e evidências que indicam o contrário.

Sem precisar ir mais longe, um estudo da Universidade de Hong Kong demonstra que o treinamento de força supervisionado e controlado aumenta a mineralização óssea dos indivíduos em resposta ao treinamento, independentemente da idade do praticante.

Precauções apropriadas para o treinamento

Além das suas vantagens, é necessário levar em consideração o risco de lesão causado pela má execução ou mau planejamento. Para isso, será essencial tomar uma série de precauções:

  • Por serem pessoas jovens, é necessário cuidar da cartilagem, pois elas estão em fase de crescimento. A cartilagem é uma substância encontrada nos ossos longos e que é responsável pelo crescimento. Devemos ter cuidado com os pesos, porque ela ainda não está completamente solidificada.
  • As lesões produzidas, independentemente da idade, geralmente são causadas pelo mau uso do material ou pela insegurança da instalação. É necessário prestar mais atenção a ambos os fatores.
  • Deve-se enfatizar a técnica de execução de cada exercício e esquecer a pressa. É aconselhável realizar um treinamento perfeitamente estruturado e projetado para cada pessoa.
Precauções apropriadas para este treinamento

Considerações em relação ao treinamento de força para pessoas jovens

Mencionamos que o treinamento de força pode ser prejudicial e perigoso se não for realizado sob a supervisão de um profissional qualificado e sem a técnica e as adaptações corretas para cada indivíduo. Portanto, é necessário prestar atenção às seguintes considerações:

  • É importante ter em mente que o jovem praticante não é um adulto em uma versão reduzida. Qualquer excesso de peso ou um aquecimento insuficiente podem afetar o seu desenvolvimento ósseo.
  • As sessões de treinamento devem ser adaptadas à idade biológica do praticante em termos de intensidade e volume. O melhor é sempre começar com intensidades muito baixas, que permitam ao jovem adquirir a técnica apropriada.
  • O treinamento será baseado em exercícios multiarticulares. O treinamento funcional deve ter prevalência sobre o restante, aumentando a carga progressivamente em torno de 5% ou 10%.
  • Nessa idade, nenhum treinamento de força deve ser realizado sem a supervisão de um profissional. Ele ficará encarregado de supervisionar a correta execução técnica de cada exercício e de garantir a segurança do atleta.

Conclusões

Em suma, o mito de que o treinamento de força para pessoas jovens é prejudicial para o seu crescimento é incorreto. Isso se deve em grande parte à desinformação.

O treinamento de força, desde que seja adequadamente projetado e adaptado a cada nível físico e idade, pode trazer vários benefícios à saúde dos praticantes jovens.

Além disso, ele ajudará os jovens a desenvolverem uma série de habilidades, tais como a autossuperação, que serão muito úteis para o seu amadurecimento, tanto físico quanto psicológico.

  • Faigenbaum, A. D. (2000). Strength training for children and adolescents. Clinics in Sports Medicine,19(4), 593-619.
  • Matos, N., & Winsley, R. J. (2007). Trainability of young athletes and overtraining.Journal of Sports Science & Medicine, 6(3), 353.
  • YU, C. C., SUNG, R. Y., SO, R. C., Lui, K. C., Lau, W., LAM, P. K., & MC LAU, E. D. I. T. H. (2005). Effects of strength training on body composition and bone mineral content in children who are obese.The Journal of Strength & Conditioning Research, 19(3), 667-672.