Pontos de conexão entre as artes marciais e o Yoga

· 12 de fevereiro de 2019
Ambas as modalidades têm mais pontos em comum do que podemos imaginar inicialmente, primeiramente devemos abrir a nossa mente e descartar a ideia de que as artes marciais são uma prática agressiva.

As artes marciais e o Yoga à primeira vista parecem modalidades extremamente diferentes. As primeiras estão relacionadas à luta, mas com forte ênfase no autocontrole. O Yoga é mais direcionado para a meditação e a sensação de paz. No entanto, existem mais conexões entre elas do que se pode imaginar.

As pessoas que tomaram a iniciativa de complementar uma prática com a outra podem confirmar seus efeitos positivos. Um organismo mais saudável e forte é um dos seus efeitos, além de corpo e alma unidos na busca do equilíbrio perfeito. É um sentimento de libertação interior e a satisfação de se sentir bem.

Artes marciais e Yoga: a combinação que leva à harmonia

Desde suas origens, podem ser encontradas características comuns entre as duas modalidades; ou melhor, pontos complementares em busca de um objetivo comum.

Enfrentar situações difíceis com integridade

O conhecimento do próprio corpo é a base para formar grandes guerreiros. As asanas do Yoga permitem identificar até mesmo o ponto mais oculto do corpo. Assim, elas se tornam um verdadeiro espelho interior.

Alunos em uma aula de Yoga

Tanto nas artes marciais quanto no Yoga, a capacidade de superar as exigências que tiram a pessoa da sua zona de seu conforto é levada ao limite. Desta forma, o cuidado individual é mais fácil, assim como o domínio de cada movimento.

As artes marciais e o Yoga se conectam e se tornam uma coisa só. Durante o combate, é possível estar preparado para cada situação de perigo, sempre mantendo o equilíbrio. O adversário pode desequilibrar em alguns momentos e assim é preciso retornar rapidamente ao centro.

Respirar é um ato consciente

O controle adequado da respiração é fundamental e uma das bases tanto das artes marciais quanto do Yoga. A administração do ar de forma consciente traz energia e força. A meditação também é dada em movimento. Com isso, a concentração aumenta e os resultados são otimizados.

Manter esse nível de consciência reduz as situações de estresse que podem ocorrer em um confronto. O autocontrole é físico e mental, o que resulta em uma pessoa em seu melhor estado. Recomenda-se que as pessoas dediquem uma hora por dia a estes exercícios.

O dia a dia, as responsabilidades no trabalho e pessoais, assim como as pressões, nos afetam negativamente. Por essa razão, é mais do que saudável limpar a mente e se conectar consigo mesmo.

Flexibilidade do corpo

As posturas, a resistência e a prática contínua dessas artes tornam o corpo mais flexível. Com o tempo, a elasticidade aumenta e, com ela, a capacidade de mobilização. Cada músculo é trabalhado e então responde obedecendo às instruções do cérebro.

As artes marciais e o Yoga nasceram na Ásia e evoluíram no tempo e no espaço. Ambas as modalidades defendem a importância do respeito, do equilíbrio pessoal e do desenvolvimento corporal. De fato, compartilham diversas posturas para o treinamento diário.

Mudar de perspectiva liberta a alma

Os princípios predominantes dessas modalidades são a humildade, a tranquilidade e o respeito para com os corpos. Além da preparação física, essas artes envolvem um forte trabalho espiritual. Cada situação problemática é analisada a partir de outra perspectiva.

Com esses exercícios, são adquiridas as ferramentas para poder se afastar do ego e observar de fora. As pessoas que têm um conhecimento mínimo podem afirmar que é possível moldar as personalidades.

A busca por um estado de felicidade com o controle do corpo e das emoções é libertadora. Paradigmas e preconceitos são derrubados e assim cada pessoa aprende a se aceitar. Esses são autênticos exercícios com a finalidade de aumentar a autoestima e melhorar as relações sociais.

Pessoas praticando artes marciais

O objetivo final das artes marciais e do Yoga

O ponto principal é o de se tornar pessoas fortes, tanto fisicamente quanto mentalmente. A força só pode ser conseguida com uma verdadeira harmonia.

Assim, os exercícios combativos são combinados com as técnicas de respiração nas artes marciais e no Yoga. Quando eles agem de forma colaborativa, esses aprendizados se tornam sentimentos superiores.

O objetivo é um ser humano seguro de si e de sua capacidade de interagir com o mundo. Certamente, a identificação de suas fraquezas e pontos fortes permite entender as dos outros. As diferenças existem e são aceitas, dando o valor que cada uma possui. Para alcançar isso, uma elevação espiritual é necessária.

De fato, a prática das artes marciais e do Yoga compartilham esses fundamentos essenciais para o desenvolvimento humano. Por um lado, diante de um ataque físico; mas também para outros problemas mentais que prejudicam em silêncio.