Parkour, o esporte urbano que está na moda

2 de março de 2019
Esta modalidade que podemos considerar como sendo esportiva, utiliza os elementos próprios da rua para fazer exercícios de habilidade, às vezes extrema, e pode lembrar um treinamento militar

O parkour é uma forma de deslocamento que se tornou o esporte da moda nos Estados Unidos e que então foi se estendendo para o resto do mundo. Ele traz grandes benefícios para a mente e também para o corpo. Vamos falar um pouco mais sobre essa modalidade a seguir.

O que é o parkour

O Parkour é uma modalidade ou filosofia que serve para se mover de um ponto a outro o mais rápido possível. Esta era a função principal, mas com o passar do tempo, ele foi sendo visto mais como uma outra forma de fazer exercício, que produzia grandes efeitos e benefícios, tanto por fora quanto por dentro.

A maneira de praticá-lo é superando obstáculos, paredes, cercas, muros e muito mais. A palavra vem do termo francês ‘parcours’, que significa percurso. As pessoas que o praticam são conhecidos como traceurs, que igualmente vêm do francês e significa rastreador, ou aquele que traça o percurso.

O que é o parkour

Quando surgiu

Foi na década de 80, quando um grupo de jovens motivados queria treinar para serem fortes e assim poder proteger suas famílias. Eles fizeram isso usando o ambiente urbano, sem saber que criariam uma nova forma de treinamento que viajaria pelo mundo.

Eles a nomearam ‘A arte do deslocamento’ e seus integrantes eram chamados de ‘Yakamasi’, que vem de uma palavra lingala que significa corpo, espírito e pessoa fortes.

Este movimento consiste na preparação do corpo e da mente com a finalidade de se deslocar em qualquer ambiente, rural ou urbano, de forma natural e eficiente.

Mais do que um esporte, eles o viam como uma forma de vida, uma filosofia na qual se destacava a importância do corpo e de estar saudável para assim poder realizar qualquer atividade na vida.

Diante de algumas divergências entre dois dos seus membros com o restante dos integrantes, o nome da ‘Arte do deslocamento’ foi substituído por parkour. Assim, já não seria mais um grupo fechado, mas sim estaria aberto a receber novos e jovens integrantes interessados nessa modalidade.

Garota praticando parkour

Quem pode praticar o parkour

Este esporte não é adequado para qualquer pessoa, porque requer uma condição física que permita levar o corpo a realizar os movimentos que esta modalidade requer. Assim, uma preparação das articulações é essencial para evitar lesões.

Além de um esporte, o parkour é uma arte, por isso requer um treinamento severo que permita que os movimentos sejam puros e limpos, e que sejam o mais naturais possível. Ou seja, que não pareçam forçados.

Os grupos que o praticam geralmente se reúnem para ensinar suas técnicas e mostrar o progresso, e assim todos aprendem uns com os outros.

Não é um esporte competitivo e também não é agressivo, já que o único propósito desses atletas é se mover de uma maneira diferente pelo seu entorno, ou seja, eles nunca incomodam ninguém, nem usam suas técnicas para o vandalismo.

Os benefícios para o corpo são muitos, uma vez que todos os grupos musculares são trabalhados intensamente, o que torna possível ver uma aparência de tonificação e elasticidade incríveis.

O que é preciso para praticar o parkour

Assim como em qualquer outra modalidade esportiva, é preciso paciência e perseverança. Além disso, um sapato confortável e roupas soltas que permitam movimentos complexos. Para todo o restante, o investimento neste esporte é mínimo, porque a pessoa pode praticar com o que tiver ao seu redor.

O que é certo é que este esporte é adequado apenas para os mais ousados, embora ninguém nunca arrisque a vida para praticá-lo. O bom traceur sempre procura a sua segurança e a de seus companheiros.

Você se atreve a experimentar esta modalidade e dar um passo além nos seus treinos?

Mould, O. (2009). Parkour, the city, the event. Environment and Planning D: Society and Space, 27(4), 738-750.
Leite, N., de Aguiar Junior, R. P., Cieslak, F., Ishiyama, M., Milano, G. E., & Stefanello, J. M. F. (2011). Perfil da aptidão física dos praticantes de Le Parkour. Revista Brasileira de Medicina do Esporte, 17(3), 198-201.