O carismático técnico de futebol Jurgen Klopp

· 29 de dezembro de 2018
Desvendamos parte dos segredos do sucesso que o treinador alemão parece ter em todas as equipes que comanda. Intensidade, jogo rápido e coordenado, pressão e aproveitamento da menor possibilidade de contra-ataque para derrubar o rival são algumas das suas táticas. Saiba mais a seguir.

Ele jogou em só uma equipe durante toda sua vida esportiva, e inclusive dirigiu a mesma equipe após se aposentar dos gramados como jogador. Mas esse ex atacante, defensor e atual treinador deixa uma marca em cada clube por qual ele passa. Hoje analisaremos o carisma de Jurgen Klopp e como ele marcou o futebol inglês.

Quem é Jurgen Klopp?

Com seus cabelos ruivos e chamativos óculos arredondados, Jurgen Klopp não passa despercebido em nenhum estádio onde suas equipes jogam. Em Dortmund o idolatram, e no Liverpool também…

O que esse alemão tem que já conseguiu tantos títulos desde que passou a ser treinador de seu amado FSV Mainz 05 da segunda divisão da Bundesliga?

Primeiramente o seu estilo de jogo, e em segundo lugar sua garra para levar seus jogadores a um nível superior… Inclusive quando fazem parte de um dos mais importantes times da Inglaterra como é o caso dos ‘reds’.

O temperamento de Klopp talvez seja um dos seus traços mais marcantes. Nas partidas ele grita, gesticula, não fica sentado nem um segundo, veste uma roupa de esporte bastante confortável – nada de terno e gravata!

E nas entrevistas para a imprensa ele fala da forma mais natural possível, explica o que aconteceu nos 90 minutos de jogo a partir da sua visão. Nada de tecnicismos nem de parecer um catedrático na Universidade.

Ninguém pode negar que esse alemão nascido em Stuttgart em 1967 é muito autêntico. Ele é rebelde, clássico, tradicional… Inclusive alguns dizem que ele é antiquado. Mas nada disso importa para ele enquanto ele conseguir sucesso no que ele faz.

Klopp do lado de uma taça

O jogo de Klopp: Borussia Dortmund

Depois de 8 anos como treinador na equipe que o viu nascer futebolisticamente, FSV Mainz 05, e que o levou para a classificação da Copa da UEFA em 2005, Jurgen Klopp firmou contrato com o Borussia Dortmund em 2008. O acordo era por dois anos, mas ele acabou durante sete! Parece que esse homem gosta de relações mais longas…

O Borussia havia terminado a temporada anterior no péssimo décimo terceiro lugar. Mas depois da chegada de Jurgen Klopp ele ficou em sexto e posteriormente em quinto, nas duas temporadas seguintes. Mas isso não é tudo, já que em 2010 ele conseguiu o campeonato da Bundesliga e o bicampeonato um ano depois.

Em 2012 ele chegou ao final da Liga dos Campeões – perdeu para o Bayern de Munique – mas um ano mais tarde ele virou campeão da Supercopa da Alemanha, contra o mesmo rival – afinal, no futebol sempre há uma revanche.

E ele conseguiu o mesmo feito novamente em 2014. Foram cinco títulos em quatro anos! Sem dúvida uma conquista de encher os olhos.

Agora… O que fazia Jurgen Klopp para que suas vitórias se somassem sem parar? O sistema tático, ao que parece, era seu grande segredo. O esquema estava baseado em um 4-2-3-1, e mesmo que os nomes mudassem, o modelo se mantinha intacto.

As jogadas começavam com os centrais abertos e o meio de campo se aproximando para receber. Outra opção: os lançamentos longos para o único atacante da equipe. A defesa era uma muralha impenetrável que além de tudo saía em contra-ataque e deixava os rivais sem poder de ação.

A Alemanha de Jurgen Klopp se muda para o Liverpool

Depois de um ano sabático em 2015 e rejeitar a oferta do Olympique de Marselha, Klopp chega ao Liverpool para tomar a frente de uma das equipes mais tradicionais e respeitadas da Premier League.

O contrato inicial era por um ano, mas em 2016 ele fechou continuar até 2022. Seguimos com a teoria que ele gosta de relações longas…

Camisas do Borussia e Liverpool

Desde a chegada de Jurgen Klopp aos ‘reds’  o time se transformou em um dos melhores dos últimos tempos, inclusive após baixas importantes de jogadores estrelas da equipe. Para isso, ele teve que mudar muitas coisas que não o agradavam muito, e que não possibilitavam o seu estilo de jogo em campo.

A pressão em cima, os laterais com passes longos, as transições rápidas, os contra-ataques e as recuperações que levaram o time de Dortmund para cima foram passados como legado ao Liverpool. E foi assim que se construiu uma nova identidade baseada no sacrifício, na intensidade e no esforço físico.

E a última temporada acabou mais uma vez com ele à beira de levantar por fim uma taça da Champions League, somando seu segundo subcampeonato particular na competição. Mas isso não parece ter afetado muito o ritmo da equipe dos ‘reds’ na Premier.