Conheça as características da defesa por zona 1-3-1 no basquete

· 9 de fevereiro de 2019
O basquete é um dos esportes táticos por excelência. Na verdade, muitos técnicos de outros esportes o observam para pegar emprestadas algumas ideias. Uma das mais interessantes é a defesa por zona 1:3:1.

No basquete, essa defesa por zona é uma variante por meio da qual podemos fazer uso para sufocar o adversário, atrasar a sua saída de bola, recuperar a bola no seu campo e fazer cestas fáceis. Estamos falando da defesa por zona 1-3-1 no basquete. Se você deseja saber em que consiste esse sistema defensivo, continue lendo o artigo a seguir.

Trata-se de uma tática especialmente útil se forem alternadas com defesas em meia quadra e individuais, de forma a fazer com que a equipe adversária não esteja preparada para isso e caia na armadilha.

Na medida do possível, seria interessante fugir do típico “se fizermos cesta, marcação em toda a quadra; se não, defendemos atrás”.

Se cairmos nisso, o adversário será capaz de preparar a resposta à nossa defesa em qualquer tempo técnico, dessa forma, a nossa marcação será superada com facilidade. Isso, com certeza, vai provocar uma enxurrada de cestas contrárias, que muito provavelmente vão nos custar a vitória no jogo.

Vários tipos de marcação

Antes de analisarmos que tipo de marcação queremos fazer, é interessante fazer uma análise da situação e do adversário. O que queremos? Atrasar a saída de bola ou roubar bolas? Restam tempos técnicos para o adversário? Quais são os pontos fortes do adversário?

Quando já tivermos respondido essas perguntas, poderemos analisar as variantes que compõem as marcações e a quais podemos recorrer. Entre elas, a marcação 1-3-1, a qual vamos nos dedicar neste artigo.

Defesa por zona 1-3-1 no basquete: o que é e para que serve

O primeiro objetivo dessa marcação é pressionar o arremesso. Esse fato é muito importante, já que podemos conseguir uma violação de cinco segundos e recuperar a bola. No entanto, a principal missão é impedir que a bola chegue ao círculo central.

Para conseguir isso, vamos dar aos adversários os laterais, começando o ataque quando a outra equipe receber a bola nessa posição.

Para trabalhar essa marcação, cada jogador deve conhecer as posições que se dividem o campo defensivo, isto é, no sentido transversal, o prolongamento imaginário da linha de tiro livre; no sentido longitudinal, a linha imaginária que uniria ambas as cestas. Dessa forma, os jogadores abandonam as posições à direita e à esquerda.

Conceitos básicos da defesa por zona 1-3-1 no basquete

Os conceitos básicos dessa marcação são três. Em primeiro lugar, é preciso arriscar fazer 2×1 nos escanteios.  Os motivos são óbvios, já que o adversário tem uma forma de se esquivar. Assim, com exceção de um drible espetacular, ele só terá a opção de fazer uso do passe para superar a nossa equipe.

tempo técnico no jogo de basquete

Em segundo lugar, se quisermos evitar que toda a defesa desmorone, provavelmente por causa de uma cesta contra, devemos garantir que o sistema proteja a cesta da infiltração pelo centro do pivô da equipe adversária. Sempre deve-se tentar empurrá-lo na direção da arquibancada.

Levando em consideração os dois primeiros princípios, o jogador que se encontrar mais avançado no sistema defensivo deve defender com os pés perpendiculares, antes de se movimentar de acordo com o movimento da bola.

Distribuição da defesa

O nosso jogador mais adiantado, normalmente o armador, deve se colocar mais ou menos na altura do tiro livre. Como já dissemos, deve estar com os pés na direção da linha de fundo para, posteriormente, dirigir-se na direção da bola ou para o lado que preferir carregar a bola.

Mais atrás, começando pela linha de três pontos e sem importar o lado, colocam-se de forma escalonada os nossos jogadores exteriores.

Desenvolvimento da marcação

Evidentemente não existe uma única maneira de colocar em prática essa marcação, já que deveremos executá-la em função das reações do adversário.

Se o adversário fizer o arremesso para a lateral onde temos o nosso jogador mais adiantado da linha escalonada de três, ele deve baixar para bloquear a saída pela lateral enquanto nosso armador deve impedir com o corpo a saída dele pelo centro.

Como dissemos anteriormente, isso sempre vai depender de como estão posicionados os adversários, mas o ideal é que o ala dê um passo para trás, posicionando-se junto ao nosso ala-pivô, mais ou menos na altura do centro da quadra.

Por outro lado, se o adversário passar a bola pelo centro, devemos ser pacientes e esperar que eles mesmos decidam por que lado querem atacar. Lembre-se que devemos evitar a todo custo deixar o centro livre para eles.

Enquanto isso, nosso ala-pivô deve balançar, ficando mais ou menos na mesma altura do nosso ala-armador; o nosso ala-armador tem que retroceder até a linha central. Como você pode ver, nesse momento, nossa defesa por zona no basquete passou a ser mais uma defesa 1-2-1-1.

Quando o adversário já escolheu um lado de ataque

A partir desse momento, escolha o lado que o atacante escolher, a execução é muito semelhante. O jogador situado na linha de três pontos vai avançar passando a bola por cima do jogador fechando a lateral. O armador vai bloquear sua saída ao centro.

Tanto o outro jogador da linha de três pontos quanto o que está situado no centro da quadra devem avançar um passo em direção à posição que o ala deixou livre. Quando já estiver ali, devem permanecer atentos a possíveis passes que quebrem a marcação.

passes no basquete

Além disso, o jogador que fechar a defesa tem que prestar atenção para interceptar os possíveis passes que o adversário fizer. Esses movimentos da bola seriam fatais para os nossos objetivos.

Se nossa linha de três for superada, algo que nunca deveria acontecer, devemos manter a calma e tentar não correr como loucos para bloquear a bola e fazer assistências. Nesse caso, o ideal é correr atrás para superar a bola e recuperar posições defensivas na nossa cesta para protegê-la.

É uma ideia muito interessante, como solução de emergência, combinar a marcação com a zona. Se observarmos que a nossa zona cai, tentar localizar o nosso jogador para realizar a defesa um contra um pode ser uma tarefa difícil.

Como você pôde ver, no papel tudo parece muito fácil de fazer. No entanto, como em todo esporte, dois mais dois nem sempre são quatro. De qualquer forma, anime-se para treinar a defesa por zona 1-3-1 no basquete e assim você poderá contar com mais essa ferramenta no jogo!