As características da margarina

· 25 de abril de 2019
A margarina é considerada a opção saudável em relação à manteiga, pelo menos na imaginação coletiva; vamos analisar quais as vantagens e as desvantagens que ela realmente traz

Hoje vamos te contar tudo sobre as características da margarina. Certamente você já ouviu falar em mais de uma ocasião que ela é um alimento pouco saudável; mas na realidade o seu consumo moderado é recomendado. A seguir, vamos te contar todas as qualidades da margarina.

Além disso, vamos solucionar uma dúvida que certamente você já teve em mais de uma ocasião. A diferença entre manteiga e margarina. Continue lendo e tire todas as suas dúvidas.

Qual é a diferença entre manteiga e margarina?

Em muitas ocasiões usamos manteiga e margarina de maneira indistinta. Na verdade são dois alimentos diferentes, mas como são usados para preparar as mesmas receitas, muitos pesam que são iguais.

A principal diferença entre manteiga e margarina é o produto a partir do qual são feitas. A manteiga é feita a partir de gorduras animais, enquanto a margarina tem gorduras vegetais como ingrediente principal.

Em relação às suas propriedades, as duas são muito semelhantes. Ambas têm um teor de gordura maior de 90% e um alto nível de calorias.

Manteiga e margarina são diferentes?

Muitas vezes nos perguntamos qual das duas é mais saudável. A maioria das pessoas acredita que seja a margarina, pois é feita a partir de óleo vegetal. Isso não é totalmente verdade, já que alguns tipos de margarina são feitos de gorduras saturadas. Além disso, também não é verdade que a manteiga seja prejudicial à saúde.

O que é certo é que, seja ao consumir margarina ou manteiga, você deve fazer isso em pequenas quantidades. Qualquer que seja o tipo, ambas têm um alto teor de gordura e, portanto, não é aconselhável abusar de seu consumo.

Características da margarina

Contém Ômega 3 e Ômega 6

Ainda que em pequena quantidade, a margarina contém tanto Ômega 3 quanto Ômega 6. Esse tipo de gordura é responsável por prevenir a coagulação do sangue, e portanto seu papel no sistema circulatório é essencial.

Além disso, também regula os níveis de insulina, por isso seu consumo é especialmente recomendado para diabéticos. É importante que nossos níveis de ômega 3 e 6 sejam os recomendados para dessa forma manter o bem-estar do organismo.

Alguns alimentos ricos em ômega 3 e 6, além da margarina, são as nozes, sementes e algas, por exemplo. Além disso, alguns tipos de peixe também são ricos nesta gordura saudável.

Como você pode ver, é muito fácil consumir alimentos ricos nessas gorduras saudáveis. Você pode fazer isso na hora do almoço, do jantar ou como lanche.

Rica em vitaminas A e D

Embora tenhamos comentado anteriormente que a margarina é rica em gorduras e que elas são o seu ingrediente principal, também podemos encontrar vitaminas tanto do grupo A quanto do grupo D.

A vitamina A é essencial para manter a saúde óssea e ocular. Além disso, também participa na regeneração celular bem como favorece o funcionamento correto das membranas existentes no sistema circulatório.

Por sua vez, a vitamina D é essencial para a absorção de fósforo e do ferro e, portanto, para prevenir doenças como a anemia, por exemplo. Da mesma forma, a vitamina A é importante para o desenvolvimento e manutenção dos ossos e dentes.

Margarina e manteiga: quais são as diferenças entre elas?

Além da margarina, também podemos encontrar este tipo de vitaminas no óleo de fígado de bacalhau e nos laticínios e seus derivados.

Limite o seu consumo

Embora a margarina contenha nutrientes saudáveis, como por exemplo vitaminas A e D e ômega 3 e 6, não devemos abusar do seu consumo.

Não se esqueça que uma das principais características da margarina é que a base deste alimento é a gordura, e que embora seja de origem vegetal não deixa de ser prejudicial em grandes quantidades.

Por isso, é importante limitar o seu consumo, especialmente para as pessoas que sofrem de sobrepeso ou obesidade, uma vez que ela faz com que ainda mais gordura se acumule no organismo.

Com isto, não queremos dizer que devemos parar de consumi-la, mas sim que o consumo deve ser feito em pequenas quantidades e com moderação.