Alimentos transgênicos: prós e contras

· 7 de dezembro de 2018
Muitos dos alimentos que consumimos diariamente são transgênicos, embora na maioria das vezes não saibamos já que essa informação muitas vezes não aparece no rótulo.

Os alimentos transgênicos são aqueles que foram geneticamente modificados. Eles são iguais a um alimento orgânico ou de culturas tradicionais à primeira vez, mas na verdade ocorre a adição ou retirada de um ou mais genes do alimento para atingir um objetivo específico.

Prós de alimentos transgênicos

  • Os transgênicos são produtos que estão sujeitos a constantes controles e análises por processos muito rigorosos e exaustivos, inclusive superiores aos seguidos pelos alimentos tradicionais.
  • Os especialistas consultados sobre o assunto concordam que não há razão para pensar que os transgênicos sejam alimentos prejudiciais à saúde.
  • Um alimento é geneticamente modificado para melhorá-lo, otimizando suas propriedades benéficas e tornando-o mais nutritivo e saudável. O objetivo é conseguir, por exemplo, maior ingestão de proteínas, menor presença de lipídios, frutas que tenham mais vitaminas, cereais e vegetais com maior conteúdo de fibras e minerais…
  • Especialmente se falamos de hortaliças, os transgênicos foram criados para serem mais resistentes, de modo que sua produção é mais simples e não depende tanto das condições climáticas ou das possíveis pragas. A redução no uso de agrotóxicos é outra das vantagens indicadas pelos seus defensores.
  • Ao modificá-los, possíveis elementos prejudiciais e os alérgenos mais comuns são eliminados.
Mulher escolhendo entre comida natural e artificial

Contras dos alimentos transgênicos

  • As modificações a que estão sujeitos geralmente é para torna-los mais atrativos na hora da compra, de modo que sua qualidade pode não melhorar, ao contrário, parte das propriedades naturais desses alimentos podem ser perdidas.
  • A biodiversidade que temos hoje pode ser prejudicada e desaparecer. Isso porque acabamos produzindo, por exemplo, uma única variedade de maçã, a mais fácil de cultivar e a mais lucrativa.
  • Estes alimentos podem afetar outros que não são transgênicos, destruindo plantações tradicionais e ecológicas, alterando seriamente o meio ambiente e podendo até mesmo destruir as espécies de plantas que são mais fracas.
  • Os alimentos tradicionais são cultivados por agricultores que cuidam de seus produtos com grande dedicação, enquanto as sementes de alimentos transgênicos estão geralmente nas mãos de multinacionais.
  • Além disso, alguns relatos sugerem que os transgênicos poderiam ser responsáveis ​​pelo aumento de casos de alergias e intolerâncias alimentares e também poderiam ser a causa de algumas pessoas mostrarem resistência aos antibióticos.
Maçã verde com nozes

Para finalizar, a Organização Mundial da Saúde (OMS) garante que eles não representam um perigo para o consumo humano, embora determine que cada alimento deva ser analisado individualmente.

É necessário insistir nos controles exaustivos a que eles são submetidos antes de chegar a qualquer supermercado, mesmo que não existam estudos que confirmem seu impacto negativo na saúde.

No entanto, como discutimos anteriormente alguns relatos sugerem que os transgênicos poderiam ser responsáveis pelo aumento de casos de alergias e intolerâncias alimentares e também poderiam ser a causa de algumas pessoas serem resistentes aos antibióticos.

O atraso no desenvolvimento imunológico, especialmente importante em crianças, e a possível relação entre os transgênicos e certos tipos de câncer são outros supostos perigos que apontam algumas pesquisas emergentes.

Concluindo, podemos continuar a consumir alimentos transgênicos, pois proporcionam muitos benefícios. Até que haja evidência científica dos supostos perigos que eles trazem, não precisamos parar de consumi-los.