Tipos de alimentação de acordo com seu objetivo esportivo

11 de março de 2019
Uma das chaves para alcançar o melhor desempenho esportivo é adaptar nossa dieta ao tipo de exercício que vamos realizar; as características de cada modalidade exigem uma nutrição diferenciada

A dieta não pode ser a mesma se quisermos perder peso ou se o nosso objetivo é marcar os músculos. Será diferente também considerando se pretendemos ganhar peso ou melhorar nosso desempenho na academia. No artigo a seguir, vamos falar sobre os diferentes tipos de alimentação de acordo com seu objetivo.

A alimentação ideal de acordo com o objetivo

Partindo do pressuposto de que cada pessoa é um mundo e que nem todos devem seguir as mesmas dietas, podemos e devemos desenvolver um plano de alimentação de acordo com o objetivo que temos.

Isso porque uma pessoa que quer perder peso não pode comer a mesma coisa que aquele cujo objetivo é aumentar a massa muscular. Também não faz sentido comer da mesma forma se você precisa reduzir seus níveis de colesterol ou se você quer melhorar o desempenho na academia.

Concentrando-se especificamente no objetivo esportivo, esses são alguns dos planos de alimentação que você pode seguir:

1. Para aumentar a massa muscular

Aquelas pessoas cujo objetivo é ganhar peso ou ter mais músculos devem seguir uma premissa simples: comer o tempo todo de maneira saudável. Pode parecer impossível, mas é assim que o corpo começará a desenvolver os músculos.

Mulher sarada levantando peso

Para começar, não pular refeições será o suficiente. Faça entre cinco a seis refeições diárias e inclua alimentos como pão integral, ovos, queijo, frango, banana, aveia, iogurte, salmão, atum, brócolis e peru.

2. Para marcar os músculos

Se o seu objetivo esportivo é ter uma barriga e um bíceps bem marcados, além de fazer abdominais e levantar uma barra pesada, você terá que fazer uma dieta adequada para também perder gordura.

A alimentação para atingir o objetivo de marcar os músculos deve incluir os três grupos principais de alimento: carboidratos, proteínas e gorduras saudáveis. O plano é semelhante ao de aumentar a massa muscular, mas menos calórico.

Saladas são tão importantes como a carne ou os laticínios. Além disso, recomendamos que você coma muito bem antes de treinar para ter força e energia suficientes.

3. Para perder peso

Um dos principais objetivos esportivos é perder peso. Só ir na academia, mesmo que o treino seja intensa, não é o suficiente. Alguns truques que podem ajudá-lo em seu objetivo são:

  • Beber muito chá verde e água (sacia o apetite e reduz a ansiedade);
  • Aumentar a ingestão de fibras (promove a digestão e previne a constipação);
  • Comer mais vezes, mas em menor quantidade (seis pequenas refeições em vez de três ou quatro grandes).

Um plano de dieta típico para perda de peso inclui um copo de leite desnatado com uma fatia de pão integral com queijo branco no café da manhã, uma fruta no meio da manhã, um peito de frango grelhado com uma salada de arroz, para o almoço, um iogurte para o lanche e uma sopa de legumes cozidos com uma salada para o jantar.

4. Para render mais na academia

Se seu objetivo esportivo é melhorar seu desempenho quando você executa seu treino, existem certos alimentos que você deve adicionar à sua dieta.

Mulher escolhendo ovos

Uma ideia de dieta diária neste caso seria: frutas e iogurte com pão de centeio no café da manhã, uma porção de peru e uma fruta no meio da manhã; uma salada de vegetais verdes com uma porção de carne magra para o almoço; um sanduíche de peru com uma infusão de chá e uma porção de peixe com legumes cozidos para o jantar.

Recomendamos que você consulte um especialista em nutrição esportiva para indicar uma alimentação adequada de acordo com seu objetivo e suas características especiais.

O médico também será responsável por verificar seu progresso e fazer pequenos ajustes quando achar melhor. Tenha em mente que fazer qualquer dieta sem supervisão pode ser contraproducente e até prejudicial à sua saúde.

Basulto Marset, J., Manera Bassols, M., & Baladia Rodríguez, E. (2012). Dietas hiperproteicas o proteinadas para adelgazar: innecesarias y arriesgadas. Dieta Dukan y método PronoKal®como ejemplo. FMC Formacion Medica Continuada En Atencion Primaria. https://doi.org/10.1016/S1134-2072(12)70423-1