Os adoçantes artificiais fazem mal para a saúde?

20 de outubro de 2019
Os adoçantes artificiais são substâncias usadas para adoçar os alimentos. Eles são caracterizados por um baixo teor calórico e um alto poder adoçante. Neste artigo, veremos se eles podem ser prejudiciais à nossa saúde.

A sociedade hoje se caracteriza pelo fácil acesso a todos os tipos de alimentos. Isso fez com que, nas últimas décadas, o consumo de açúcar aumentasse e as taxas de sobrepeso e obesidade na população em geral disparassem. Os adoçantes artificiais são uma solução para esse problema?

As doenças cardiovasculares são as mais prevalentes atualmente. São elas que possuem a maior taxa de mortalidade, e por sua vez estão diretamente relacionadas à obesidade. Como possível solução para esses problemas surgiram os adoçantes artificiais, substâncias que tentam substituir o açúcar com um baixa teor calórico.

Adoçantes artificiais

Os adoçantes artificiais são produtos químicos usados ​​para adoçar artificialmente alimentos ou bebidas. Seu principal benefício é que eles permitem adoçar os alimentos com facilidade, usando apenas pequenas quantidades, mas, acima de tudo, destacam-se pela baixa quantidade calórica.

Sua presença é especialmente abundante em refrigerantes dietéticos. Embora tenham sido inicialmente considerados uma grande ajuda para reduzir o consumo de açúcar, atualmente causam controvérsias. Essas discussões surgem de alguns estudos que garantem que essas substâncias têm efeitos prejudiciais para sa saúde.

Benefícios dos adoçantes artificiais

O principal benefício dos adoçantes artificiais não está relacionado ao seu consumo, mas à diminuição da quantidade de açúcar que ingerimos. A substituição de bebidas ou alimentos com altos níveis de açúcar por outros com adoçantes artificiais nos permite reduzir a ingestão diária de açúcar.

Uma dieta com baixos níveis de açúcar está relacionada a um menor índice de gordura corporal, baixos níveis de triglicerídeos e colesterol e melhor saúde em geral. Tudo isso reduz a incidência de doença cardíaca coronária e o aparecimento de diabetes tipo II.

Benefícios dos adoçantes artificiais

Efeitos nocivos dos adoçantes artificiais

Apesar de tudo o que foi exposto, devemos destacar o fato de que todos os benefícios que encontramos no consumo de adoçantes artificiais se devem à diminuição da ingestão de açúcar e desde que sejam consumidos com moderação.

Um estudo recente investigou, usando camundongos, os efeitos do consumo a longo prazo de altas doses de alguns dos adoçantes artificiais mais usados, como a sacarina ou o aspartame. Foi visto que houve alterações significativas na flora intestinal do cólon.

Flora intestinal

Quando falamos de flora intestinal, queremos dizer um ecossistema completo de bactérias que vivem conosco em simbiose. Essas bactérias vivem na parede do intestino grosso e não são prejudiciais para nós, mas ajudam na digestão de muitos alimentos.

Todos os dias descobrimos mais benefícios dessa população de bactérias que carregamos conosco. Muito cientistas afirmam que elas desempenham um papel tão importante quanto o de qualquer outro órgão do corpo.

Quais efeitos podem ocorrer com a alteração da flora?

A verdade é que não podemos saber com certeza como essa alteração pode afetar os seres humanos. Também não podemos saber exatamente se ocorre uma alteração tão grave quanto a que ocorre em roedores.

Quais efeitos podem ocorrer com a alteração da flora?

O que se sabe é que, em camundongos, a modificação desse ecossistema de micro-organismos produz uma diminuição na tolerância à glicose que está relacionada à gênese da síndrome metabólica ou pré-diabetes.

A síndrome metabólica é uma condição médica caracterizada por uma fraca resposta do corpo a níveis elevados de açúcar no sangue, hipertensão, altos níveis de triglicerídeos e colesterol LDL no sangue.

Juntamente com essas alterações bioquímicas, há uma baixa tolerância ao exercício físico e uma tendência à obesidade central – no intestino e no quadril. Essa síndrome pode levar ao verdadeiro diabetes tipo II e aumenta o risco de doença cardíaca.

Como vemos, os efeitos que tentamos aliviar pela redução do consumo de açúcar podem ser produzidos por uma alta ingestão de adoçantes. Portanto, parece razoável tentar evitar seu consumo ou reduzi-lo o máximo que pudermos até que haja mais pesquisas sobre o assunto.

  • Wang, Q.-P., Browman, D., Herzog, H., & Neely, G. G. (2018). Non-nutritive sweeteners possess a bacteriostatic effect and alter gut microbiota in mice. PLOS ONE, 13(7), e0199080. https://doi.org/10.1371/journal.pone.0199080
  • EDULCORANTES ARTIFICIALES. (n.d.). Retrieved from http://www.endocrino.cat/es/blog-endocrinologia.cfm/ID/7878/ESP/edulcorantes-artificiales.htm