De que forma devo movimentar meus braços ao correr?

1 de fevereiro de 2019
Aperfeiçoar a forma de correr pode fazer com que o desempenho melhore e o cansaço diminua, por isso é importante saber o posicionamento e os movimentos corretos que os braços devem fazer enquanto corremos.

A técnica dos corredores pode variar de acordo com o tipo de corrida – uma corrida casual não é a mesma coisa que uma maratona. Mas o que não pode mudar é o movimento dos braços ao correr. Por isso, vamos te contar todos os detalhes sobre a técnica correta para movimentar os braços ao correr!

Como tenho que movimentar meus braços ao correr?

Uma das perguntas mais comuns sobre a técnica de corrida não tem nada a ver com a respiração ou a velocidade, mas sim com o movimento dos braços ao correr. Como devemos movimentá-los?

Devemos saber que, se cumprirmos o que está nos livros, vamos ser mais eficientes porque assim não vamos gastar tanta energia e também não vamos precisar de tanto esforço para alcançar nossa meta.

Talvez já estejamos correndo por um tempo e tenhamos feito isso errado até agora. Nesse caso, mudar o hábito vai levar várias semanas. Mas isso não importa, mais cedo ou mais tarde você vai conseguir.

Como tenho que movimentar meus braços ao correr

Temos que nos observar e prestar atenção aos outros em uma corrida. O que é que aqueles que conseguem os melhores tempos ou que terminam a maratona menos exaustos fazem? Eles movimentam os braços de uma determinada maneira!

Devemos sempre encontrar o equilíbrio perfeito entre conforto e eficácia. Em resumo, o movimento das extremidades é igual ao de caminhar, porém feito mais rápido ao correr.

De qualquer forma, devemos manter uma postura relaxada porque, por melhor que seja a técnica que tenhamos, se nos sentirmos desconfortáveis podemos sofrer de cansaço ou lesão.

A importância de saber como movimentar os braços ao correr

Certamente você já viu muitas corridas e, além de observar o movimento das pernas, a forma como os braços dos atletas se movimentavam chamou a sua atenção. A braçada durante a competição permite impulsionar mas, ao mesmo tempo, equilibrar o restante do corpo, e até mesmo economizar energia.

O ir e vir dos braços em perfeita simbiose com as pernas nos ajuda a chegar mais rapidamente à meta. Por isso, preste muita atenção à técnica usada pelos corredores de elite:

1. Os braços devem formar um ângulo de 90 graus

É essencial que os ombros estejam relaxados (não encolhidos) e que o movimento seja fluido, acompanhando o corpo, sem ser nem um pouco forçado ou desconfortável.

2. Não separe os braços do tronco

Um erro muito comum dos corredores iniciantes é afastar os cotovelos do tronco, acreditando que assim eles vão correr mais rápido (no melhor estilo pássaro voando).

No entanto, o que acontece é justamente o contrário, pois o esforço para quebrar a resistência do vento vai ter que ser maior.

Se os braços forem mantidos o mais próximo possível do tronco, então vai ser possível avançar mais facilmente.

3. Mãos sempre relaxadas

Alguns corredores geralmente fecham os punhos quando correm. Talvez seja porque eles queiram se manter aquecidos, mas o lado ruim é que com esse hábito eles tensionam seus pulsos e antebraços… E isso faz com que gastem mais energia do que imaginam!

Casal correndo no parque

4. Sincronize os movimentos

Os braços devem se movimentar de forma sincronizada com as pernas. Mas atenção, não se trata de exagerar os movimentos dos braços e as passadas, porque isso nos cansaria ainda mais.

É fundamental que os movimentos sejam harmônicos. Ou seja, trata-se de assimilar a forma de fazer isso sem pensar muito em corrigir o movimento.

5. Não ultrapasse as orelhas

Pode ser que você já tenha visto alguns corredores com movimentos de braços um tanto quanto estranhos, nos quais as mãos se cruzam na frente do corpo até o meio do tronco (ou mais). Embora esta seja uma técnica aceita, a verdade é que ela não é recomendada. Porque isso não vai nos permitir correr mais rápido!

É muito melhor que os braços cheguem até a altura do peito, mas que as mãos não passem além da linha imaginária das orelhas. Além disso, quando abaixamos os braços, as mãos não podem descer abaixo da cintura. Caso contrário, vamos ser menos eficientes e vamos correr mais devagar.

Finalmente, não cometa o erro de girar excessivamente o tronco e levar os seus braços muito para trás. Nesse caso, o corpo precisa fazer um esforço extra para se equilibrar e isso vai subtrair milissegundos no seu desempenho que posteriormente vão ser os responsáveis por fazer você perder a oportunidade de estar no pódio.

Se ao final do treino ou da corrida você perceber que os braços e ombros estão contraídos ou muito cansados (até mesmo mais do que as pernas), é porque a sua técnica não está totalmente correta.

Você pode pedir para alguém te filmar para ver o que você está fazendo de errado e assim poder resolver o problema com a prática.

CAVAZOS, L. (2013). Correr está de moda – Grupo Milenio.